O QUE VOCÊ FAZ, FAZ DIFERENÇA?

Por Valentin  Ferreira

Há um provérbio africano que diz: “Se você pensa que é muito pequeno para fazer a diferença, tente dormir em um quarto fechado com um mosquito!”.

Todos os dias em algum canto deste mundo, alguém está fazendo alguma coisa, que pode fazer diferença e trazer benefícios  para as pessoas.

Em qualquer atividade humana sempre é possível inovar e acrescentar algo novo ao que já existe.

No mundo do trabalho, onde passamos boa parte da vida, é um ambiente onde podemos aplicar nossa inteligência, conhecimento, experiências e observações, para “criar”.  Daí manifesta-se a criatividade, a inventividade para modificar produtos, processos e projetos.

Nas oportunidades que tive para entrevistar candidatos e candidatas a uma vaga de emprego, sempre lhes perguntava: o que você fez de “novo” nos últimos empregos que marcou  na sua memória? O que você fez que fizesse a diferença? Poucos foram aqueles que se lembraram de um feito marcante em sua vida.

O termo inovação soa como alguma coisa relacionada a feitos extraordinários, como se os feitos extraordinários não fossem uma sucessão de pequenas ações, e  que,  muitas vezes resultaram em fracassos.  Quantos fracassos experimentou Tomas Edison com suas mais de mil experiências até chegar ao êxito da lâmpada elétrica? Em  uma de suas afirmativas pontuou: “Minhas invenções são fruto de 1% de inspiração e 99% de transpiração”.

Se prestarmos atenção veremos em  nosso ambiente de trabalho haverá sempre alguma coisa “pedindo para ser recriada”.

A natureza, com suas plantas e animais nos fornecem tantos exemplos de como a necessidade impõe formas “criativas” para atender a sobrevivência.

Todos os ambientes contêm informações que poderão ser absorvidas de acordo com o interesse e objetivos  de cada um. Prestar atenção, questionar, observar e pensar, constituem portas por onde entrará a luz da criatividade.

“Praticar a criatividade” não custa nada e cada um a seu jeito pode ser um “criador de valores”. Não se pode ter medo. Afinal, mesmo os maiores gênios da história experimentaram muitos fracassos até chegar ao êxito em seus inventos.

Então, que tal fazer algo para “chamar de seu”.