UM RETRATO DOS PRIVILEGIADOS DO BRASIL, Por Fernando Nogueira da Costa- UNICAMP

Postado por Valentin Ferreira

Certas “castas” têm motivos de sobra para sorrir.

Uma análise das declarações de Imposto de Renda recentemente publicadas pela Receita Federal permite reflexões sobre o enriquecimento no País

Por Fernando Nogueira da Costa (*)— Carta Capital
“Gente de bem” bate panela vazia? É “bem-nascida”, isto é, herdeira? É a “sorte-do-berço” determinante de seu bem-estar? É self-made man, alguém que se fez por si próprio, com seu esforço, pelas boas qualidades intrínsecas ao seu DNA ou adquiridas em seu ambiente familiar educacional?

É o instinto humano básico da competição ou o da proteção que a caracteriza? São boas escolas, bons professores, boa rede de relacionamento social, ou bons privilégios sociais, por exemplo, isenção fiscal em seus rendimentos, os determinantes básicos do $uce$$o?

Os grandes números do DIRPF 2017 Ano Calendário 2016, recentemente publicados pela Receita Federal, permitem reflexões sobre essas questões relativas ao enriquecimento pessoal. A tabela abaixo apresenta um ranking de ocupações principais dos declarantes em que estimei os rendimentos totais (tributáveis, exclusivos e isentos) per capita, deduzindo os mensais, além do patrimônio líquido per capita, descontando as dívidas dos bens e direitos.

Veja Matéria completa com gráficos sobre os títulos abaixo , AQUI

  • Ranking de renda e riqueza das ocupações dos declarantes de Imposto de Renda em 2017 mais ricos
  • Ranking por segmento profissional
  • Estratificação por Castas com base no resumo das declarações por ocupação principal do declarante DIRPF 2017 – AC 2016

 

(*)Fernando Nogueira da Costa é professor titular do IE-Unicamp 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *