“HOJE O INDIVÍDUO SE EXPLORA E ACREDITA QUE ISSO É REALIZAÇÃO”, Explica Byung, filósofo sul-coreano.

Postado por Valentin Ferreira

O filósofo Byung-Chul Han em Barcelona MASSIMILIANO MINOCRI EL PAÍS

 O filósofo sul-coreano Byung-Chul Han, um destacado dissecador da sociedade do hiperconsumismo, fala sobre suas críticas ao “inferno do igual”

PorCarles Geli / El Pais

As Torres Gêmeas, edifícios idênticos que se refletem mutuamente, um sistema fechado em si mesmo, impondo o igual e excluindo o diferente e que foram alvo de um ataque que abriu um buraco no sistema global do igual. Ou as pessoas praticando binge watching (maratonas de séries), visualizando continuamente só aquilo de que gostam: mais uma vez, multiplicando o igual, nunca o diferente ou o outro… São duas das poderosas imagens utilizadas pelo filósofo sul coreano Byung-Chul Han (Seul, 1959), um dos mais reconhecidos dissecadores dos males que acometem a sociedade hiperconsumista e neoliberal depois da queda do Muro de Berlim. Livros como A Sociedade do CansaçoPsicopolítica e A Expulsão do Diferente reúnem seu denso discurso intelectual, que ele desenvolve sempre em rede: conecta tudo, como faz com suas mãos muito abertas, de dedos longos que se juntam enquanto ajeita um curto rabo de cavalo.

Continue lendo ““HOJE O INDIVÍDUO SE EXPLORA E ACREDITA QUE ISSO É REALIZAÇÃO”, Explica Byung, filósofo sul-coreano.”

BLOCOS E SAMBAS ENREDO MOSTRAM QUE CARNAVAL TAMBÉM É ESPAÇO PARA POLÍTICA NO RIO

Postado por Valentin Ferreira

Uma das marcas do carnaval deste ano é a politização dos temas dos blocos e dos enredos das escolas de samba em todo o Brasil / Fernando Maia/ Riotur

De reforma trabalhista a legalização da maconha, o carnaval deste ano estará recheado de pautas e demandas sociais

Mariana Pitasse/ Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)
Uma das marcas do carnaval deste ano é a politização dos temas dos blocos e dos enredos das escolas de samba em todo o Brasil. No Rio de Janeiro não poderia ser diferente. De reforma trabalhista, a feminismo e legalização da maconha, o carnaval deste ano estará recheado de pautas e demandas sociais aproximando ainda mais a folia da política e mostrando que carnaval é, também, um espaço de luta.
Ler Matéria completa: Brasildefato

A “TELINHA” ESTÁ DEIXANDO AS PESSOAS MENOS FELIZES

Postado por Valentin Ferreira                      FOTO: SUZANNE PLUNKETT /REUTERSPESQUISA MOSTROU QUE ADOLESCENTES E ADULTOS ESTÃO MENOS FELIZES

Por Nexojornal./ ARTIGO ORIGINAL What might explain the unhappiness epidemic? The Conversation 22 de janeiro de 2018 Autoria: Jean Twenge Tradução: Camilo Rocha

O QUE PODE EXPLICAR A EPIDEMIA DE INFELICIDADE?

Todos gostaríamos de ser um pouco mais felizes. O problema é que muito do que determina a felicidade está fora do nosso controle. Alguns de nós somos geneticamente predispostos a ver o mundo através de lentes cor de rosa, enquanto outros têm uma perspectiva geralmente negativa. Coisas ruins podem acontecer, para nós e no mundo. As pessoas podem ser cruéis, e trabalhos podem ser tediosos.

Mas temos algum controle sobre como gastamos nosso tempo de lazer. É uma razão pela qual vale perguntar quais atividades de lazer estão ligadas à felicidade e quais não estão.

Em uma nova pesquisa feita com um milhão de adolescentes americanos, eu e meus colegas examinamos como adolescentes estavam gastando seu tempo livre e quais atividades eram correlacionadas com felicidade e quais não eram.

Link para ler  matéria completa: Nexojornal.

SEREMOS HISTÓRIA? DOCUMENTÁRIO DENÚNCIA! Por Leonardo DiCaprio

Postado por Valentin  Ferreira

O documentário Seremos História? (Before the Flood, 2016), produzido e apresentado pelo ator Leonardo DiCaprio, foi lançado em 2016 pelo canal National Geographic em 171 países e 45 idiomas. Quem não tem tv à cabo, pode assistir gratuitamente em diversas plataformas online. Só no canal americano do YouTube, o vídeo já ultrapassa 4 milhões de visualizações.

O vencedor do Oscar e ambientalista passou os últimos três anos pesquisando sobre o tema. Para fazer o documentário, DiCaprio viajou pelos cinco continentes para ver os efeitos do aquecimento global com seus próprios olhos. No caminho, ele levou a urgência do assunto a diversos líderes globais, como Barack Obama e Papa  Francisco, além de ativistas e cientistas.(sinopse do site juntospelaagua)

Abaixo, alguns endereços onde você pode assistir gratuitamente.

 

ALGORITMOS QUE PODEM ESTAR TOMANDO DECISÕES SOBRE SUA VIDA – SEM VOCÊ SABER

Postado por Valentin Ferreira

Algoritmos já estão presentes em diversas áreas de sua vida – Imagem Getty

Um vídeo que mostra o médico David Dao sendo removido de um voo da United Airlines em um aeroporto de Chicago, nos Estados Unidos, viralizou em abril passado.

O episódio gerou prejuízos à imagem da empresa americana, cuja tripulação queria que Dao cedesse seu lugar a um funcionário para que ele fosse ao destino do voo, Louisville, para render a equipe local. Mas quase nenhuma das críticas tratou de um elemento crucial do ocorrido: a necessidade de retirar o médico do voo foi decidida por uma máquina, mais especificamente por um programa de computador.

É exemplo clássico de como esses programas, conhecidos como algoritmos, estão tomando decisões que afetam nossas vidas, muitas vezes sem que a gente sequer saiba disso. Continue lendo “ALGORITMOS QUE PODEM ESTAR TOMANDO DECISÕES SOBRE SUA VIDA – SEM VOCÊ SABER”

O SITE QUE DÁ ACESSO A LIVROS PARA DEFICIENTES VISUAIS

Postado por Valentin Ferreira

O site que dá acesso a livros para deficientes visuais. Após assinar acordo com Ministério Público, editoras devem providenciar versões digitais adequadas de livros para deficientes visuais em até 60 dias

Por Murilo Roncolato/ Nexo Jornal 

Há um ano, exatamente em janeiro de 2016, entrou em vigor a chamada Lei Brasileira de Inclusão, ou ainda o Estatuto da Pessoa com Deficiência. Entre diversos outros direitos, a lei determinava a obrigação de editoras atenderem a pedidos pela produção de versões digitais acessíveis de seus livros físicos.

A partir da lei, uma recusa sem justificativa plausível passou a ser encarada como discriminação e constituir crime de reclusão, punido com até três anos de prisão e aplicação de multa.

Embora a novidade jurídica tenha sido motivo de comemoração, por um ano a pessoa com deficiência visual ficou sem ter como cobrar ou ter a garantia de que os prazos de produção e entrega do material seriam cumpridos pelas editoras.

Matéria Completa: Nexojornal.com.br