POR QUE HOJE A REVOLUÇÃO NÃO É POSSÍVEL?

Postado por Valentin Ferreira

Por Byung-Chul-Han (*) / no El País Brasil

Para decifrar a alta estabilidade do sistema de dominação liberal é preciso entender como os atuais mecanismos de poder funcionam. O comunismo como mercadoria é o fim da revolução

Quando debati com Antonio Negri, um ano atrás, no Berliner Schaubühne, ocorreu um embate entre duas críticas do capitalismo. Negri estava entusiasmado com a ideia da resistência global ao império, ao sistema de dominação neoliberal. Ele se apresentou como revolucionário comunista e se autodenominava professor cético. Clamava com ênfase à multidão, à massa interconectada de protesto e revolução, a quem confiava a tarefa de derrotar o império. A posição do comunista revolucionário me pareceu muito ingênua e fora da realidade. Por isso tentei explicar para Negri por que as revoluções já não são mais possíveis.

Por que o regime de dominação neoliberal é tão estável? Por que há tão pouca resistência? Por que toda resistência se desvanece tão rápido? Por que a revolução já não é mais possível apesar do crescente abismo entre ricos e pobres? Para explicar isso é necessária uma compreensão adequada de como funcionam hoje o poder e a dominação. Continue lendo “POR QUE HOJE A REVOLUÇÃO NÃO É POSSÍVEL?”

O MEDO COMO INSTRUMENTO DE PODER

Postado por Valentin Ferreira

O mau uso da religião, do populismo e da xenofobia é uma triste realidade a qual não se reage mais, só se observa com hipocrisia e sem uma denúncia direta

Por Roberto Savio / Carta Maior

Recentemente, os britânicos se deram conta de que votaram pelo brexit a partir de uma campanha de mentiras. Mas ninguém foi cobrar publicamente os líderes da mesma, como Boris Johnson e Nigel Farage, pelo fato de a Grã-Bretanha ter que pagar 45 bilhões de euros, um dos muitos custos do divórcio, algo muito diferente da “economia de 20 bilhões” prometida por esses promotores. Há pouca análise, e pouco profunda, sobre o porquê de o comportamento político ser cada vez mais um mero cálculo, sem preocupação pela verdade nem pelo bem dos países.

O presidente estadunidense Donald Trump pode ser um bom estudo de caso sobre as relações entre política e populismo. Há alguns dias, os Estados Unidos declararam que se retiravam do Pacto Mundial sobre Migração, da ONU (Organização das Nações Unidas). Isso não tem nada a ver com os interesses ou com a identidade dos Estados Unidos, um país de imigrantes, mas sim com o fato de essa decisão é muito bem vista pelos setores sociais que votaram por Trump, como os evangélicos. Continue lendo “O MEDO COMO INSTRUMENTO DE PODER”

NATAL PÓS-CAPITAL?

Postado por Valentin Ferreira171219-Natal

Nestas festas, serão oferecidos smatphones para cães e impressoras 3D de panquecas. Há alternativa: uma vida privada frugal e bens comuns refinados. Quem se atreve? 

Por: George Monbiot/ Outras Palavras

Quando você ouve que alguma coisa faz sentido do ponto de vista econômico, isso significa que é o oposto do senso comum. Aqueles homens e mulheres sensíveis que governam os tesouros e bancos centrais do mundo, que veem como normal e necessário um crescimento indefinido do consumo, estão alucinados, esmagando as maravilhas do mundo vivo, destruindo a prosperidade das gerações futuras para sustentar um conjunto de cifras que têm uma relação cada vez menor com o bem-estar geral.

Consumismo verde, dissociação material, crescimento sustentável: isso tudo é ilusão, destinada a justificar um modelo econômico que está nos conduzindo à catástrofe. O sistema atual, baseado em luxo privado e imundície pública, vai nos levar à miséria: sob esse modelo, luxo e privação são uma só besta com duas cabeças.

Ler matéria completa: outraspalavras

VÍDEO “HAPPINESS”: A CRÍTICA SOCIAL DE STEVE CUTTS

Postado por Valentin Ferreira

Steve Cutts faz novamente uma excelente crítica social, desta vez à acomodação e condicionamento da sociedade de consumo capitalista, em sua animação Happiness.

Para o  capitalismo e sua ideologia neoliberal, somos todos ratos de Skinner a sermos devidamente condicionados a desempenhar comportamentos esperados e padronizados…. Veja este desenho e entenda a que somos condicionados…..