“It: A COISA”. PALHAÇOS, CASA BRANCA E OUTROS NOVOS VELHOS HORRORES DE 30 ANOS ATRÁS.

Postado por Valentin Ferreira / do El País.Versão cinematográfica do romance de Stephen King incide sobre o medo social
GREGORIO BELINCHÓN/ ELPAÍS

“Seria preciso verificar, mas até nisso Stephen King foi um visionário: a cada 27 anos aproximadamente uma onda de ultraconservadorismo assola os Estados Unidos”. A argentina Bárbara Muschietti sabe do que está falando, porque produziu a nova versão de It, obra-prima do terror e ao mesmo tempo incisivo retrato social de King, escritor que soube transcender o gênero que lhe deu fama e milhões de seguidores. Porque It foi escrito na época de Reagan – foi publicado em 1986 – e narrava um drama que acontecia durante a Guerra FriaIt – A Coisa, o filme, estreia – nesta quinta-feira 7 de setembro – nos dias em que um tuíteiro furioso reside na Casa Branca e a trama se desenvolve durante o Governo de Reagan. Mais ou menos, a cada 27 anos. Continue lendo ““It: A COISA”. PALHAÇOS, CASA BRANCA E OUTROS NOVOS VELHOS HORRORES DE 30 ANOS ATRÁS.”

A CRISE BRASILEIRA NO CONTEXTO DA NOVA GUERRA FRIA

Por Valentin Ferreira / do Carta Maior .
O centro da questão é a disputa no quadro da nova guerra-fria entre USA e China: quem vai controlar a sétima economia mundial

Leonardo Boff(*)

O problema fundamental da crise brasileira não está na corrupção que é endêmica e tolerada pelas instâncias oficiais, porque dela se beneficiavam. Se fossem resgatados os milhões e milhões de reais que anualmente os grandes bancos e as empresas deixam de recolher ao INSS, tornaria  supérflua uma reforma da Previdência.

O problema não é Lula nem Dilma e muito menos Temer.  O centro da questão é a disputa no quadro da nova guerra-fria entre USA e China: quem vai controlar a sétima economia mundial e como alinhá-la à lógica do Império norte-americano, impedindo a  penetração da China nos nossos países, especialmente no Brasil pois ela precisa manter seu crescimento com recursos que  nós possuímos.  Continue lendo “A CRISE BRASILEIRA NO CONTEXTO DA NOVA GUERRA FRIA”