DUVIVIER: JESUS ERA BADERNEIRO COMUNISTA

Postado por Valentin Ferreira / do 247

Em sua coluna nesta segunda (25),  na folhaGregório Duvivier usou o Natal, e a mensagem de seu símbolo máximo, Jesus Cristo, para ironizar posições conservadoras no Brasil.

“Só mesmo no Brasil que o país para pra celebrar o aniversário de um líder comunista. Pior que isso: um baderneiro terrorista bolivariano sem-terra defensor de bandido e da prostituição.

O sujeito perdoava até o roubo, mas não perdoava a riqueza. “É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha”, dizia ele, “do que um rico entrar no reino dos céus”. Não sei se vocês já tentaram costurar usando um camelo. É dificílimo. E machuca à beça o camelo.

(…)

Olhem pra vida do rapaz: não acumulou riqueza, não se formou, ao invés disso vivia descalço cercado de leprosos defendendo bandido. Isso não significa, no entanto, que ele fosse paz e amor. O sujeito tava mais pra Marighella que pra Gandhi.

Matéria Completa : Folha

NATAL PÓS-CAPITAL?

Postado por Valentin Ferreira171219-Natal

Nestas festas, serão oferecidos smatphones para cães e impressoras 3D de panquecas. Há alternativa: uma vida privada frugal e bens comuns refinados. Quem se atreve? 

Por: George Monbiot/ Outras Palavras

Quando você ouve que alguma coisa faz sentido do ponto de vista econômico, isso significa que é o oposto do senso comum. Aqueles homens e mulheres sensíveis que governam os tesouros e bancos centrais do mundo, que veem como normal e necessário um crescimento indefinido do consumo, estão alucinados, esmagando as maravilhas do mundo vivo, destruindo a prosperidade das gerações futuras para sustentar um conjunto de cifras que têm uma relação cada vez menor com o bem-estar geral.

Consumismo verde, dissociação material, crescimento sustentável: isso tudo é ilusão, destinada a justificar um modelo econômico que está nos conduzindo à catástrofe. O sistema atual, baseado em luxo privado e imundície pública, vai nos levar à miséria: sob esse modelo, luxo e privação são uma só besta com duas cabeças.

Ler matéria completa: outraspalavras

DE ONDE VEM A TRADIÇÃO DA ÁRVORE DE NATAL?

Postado por Valentin  Ferreira

Originalmente, a árvore de natal era considerada um costume pagão, e só se popularizou em meados do século 19.

A árvore de natal preferida dos alemães é o chamado Abeto do Cáucaso – cultivado em cerca de 7 mil áreas no território alemão. Como o nome indica, ele vem da região do Cáucaso e é popular por ter agulhas macias, crescer reto e de forma uniforme. O Abeto do Cáucaso precisa crescer por até 12 anos antes que possa ser podado. Na Alemanha, são vendidas anualmente mais de 23 milhões de árvores de Natal.

Originalmente, a árvore de natal era considerada um costume pagão. E só se popularizou em meados do século 19, como afirma a colecionadora Alix Paulsen: “Foi durante a guerra franco-prussiana em 1870, 1871, quando o imperador mandou colocar pequenas árvores enfeitadas com luzes em hospitais e postos de controle. Os soldados que sobreviveram à guerra levaram a árvore para casa e desde então, ela se tornou parte da decoração de todas as casas.”

COMBATI O BOM COMBATE

Postado por Valentin Ferreira

Nesse desenvolvimento, pessoal e profissional, o foco é a troca de conhecimento.

Nesse desenvolvimento, pessoal e profissional, o foco é a troca de conhecimento. (Reprodução)

Por Isabel Camargo Guedes(*) do Domtotal

Dezembro é um mês que causa significativa reflexão na maioria das pessoas em razão da representatividade quanto ao encerramento de ciclo. O ano se finda, e com ele coloca-se na balança as realizações do que fora vivido, mas principalmente são estabelecidas as proposições para o novo ano, o que traz esperança e desenho de planos originais. Metas são estabelecidas.

E o Natal? Ah…o Natal é tempo de prosperidade, fraternidade e caridade, é o momento de espalhar amor, de renascimento. Continue lendo “COMBATI O BOM COMBATE”