VIDA

Postado por Valentin Ferreira / do Portal Dom TotalA vida fica mais cheia aprendendo o máximo que você possa, sobre o máximo que você puder.

Pensamentos fluídos, não líquidos, em torno dos sonhos, dos desejos, das vontades a curto prazo.

Por Eleonora Santa Rosa*

Lufada de vento fresco na paisagem da Cidade Maravilhosa, não mais tão cheia de encantos mil, mas ainda bela o suficiente para fazer suspirar numa mirada pela janela do carro ou numa corriqueira caminhada.

Dizem que este verão está ameno, suportável, quase civilizado, escuto eu, enxugando o suor que escorre por todos os lados. Encharcada vivo, em ebulição trabalho, encalorada durmo, esperando a brisa soprar, com a cabeça em turbilhão.

Maremoto de ideias em situação urbana de muitos riscos, em aprendizado de cultura de vida diametralmente oposta à rotina montanhosa, encantos juvenis em meio ao centro de marcas e marcos de história, traçando passeios em percursos ainda desconhecidos, utopia de extração de conhecimento via extratos fundamentais da formação de uma das mais belas, complexas e ‘injustas’ cidades do mundo. Continue lendo “VIDA”

VIVER É CORRER RISCOS. 2018 É MAIS UMA OPORTUNIDADE! QUE TAL?

Por Valentin Ferreira

No ano 4 a.C. nasceu Lúcio Aneu Sêneca. Um dos mais célebres advogados, escritores e intelectuais do Império Romano. Sua obra literária e filosófica, tida como modelo do pensador estoico durante o Renascimento, inspirou o desenvolvimento da  dramaturgia europeia renascentista.

Abaixo  destaco alguns dos “conselhos” do filósofo, que apesar do tempo, conserva  a essência do verdadeiro sentido da vida.

Rir é correr risco de parecer tolo.
Chorar é correr o risco de parecer sentimental.
Estender a mão é correr o risco de se envolver.
Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu.
Defender seus sonhos e idéias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas.
Amar é correr o risco de não ser correspondido.
Viver é correr o risco de morrer.
Confiar é correr o risco de se decepcionar.
Tentar é correr o risco de fracassar.
Mas os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada.
Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada.
Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem.
Acorrentadas por suas atitudes, elas viram escravas, privam-se de sua liberdade.
Somente a pessoa que corre riscos é livre!”

(Destaques em negrito: do blog)

Com informaçõesWikipedia

 

 

A VIDA NA TERRA SURGIU COM A QUEDA DE METEORITOS EM ÁGUAS MORNAS

Postado por Valentin Ferreira /  do  domtotal.com
O estudo se baseia em “pesquisas exaustivas e cálculos” astrofísicos, geológicos, químicos e biológicos.

Como a vida começou na Terra? Um estudo publicado nesta segunda-feira respalda a teoria de que meteoritos que caíram em lagoas mornas do planeta deixaram elementos essenciais que deram origem aos blocos de construção da vida há bilhões de anos. Continue lendo “A VIDA NA TERRA SURGIU COM A QUEDA DE METEORITOS EM ÁGUAS MORNAS”

AOS QUE ESTÃO DESANIMADOS

Por Valentin Ferreira / do Correio da Cidadania  Resultado de imagem para desalento

O GOZO DA VIDA NO CEMITÉRIO

Por Valentin Ferreira cemiterio
O CAPITALISMO E O GOZO DA VIDA NO CEMITÉRIO.

Por Valentin Ferreira 

Ganhou dinheiro a vida toda. Ficou rico e morreu como pobre. Não pobre no sentido miserável, humilde. Mas no sentido muquirana. Mão de vaca. Pão duro. Quem já não ouvir história parecida?

Quantos existem, e já conheci alguns, que passaram a vida inteira acumulando bens materiais, dinheiro e outras propriedades, e ao partir para “uma melhor” deixar tudo aí, sem desfrutar de nada. Ou ser um pouco mais generoso com as pessoas. Aqui não falo de esmola, más, da partilha do dom que recebeu.

É muito interessante a ânsia da acumulação de bens. A regra é: quando mais tem, mais quer ter. Quanto mais tem, maior preocupação em sustentar o acumulado. Como será que  é viver nesta roda vida, a cada dia, todos os dias, uma vida toda? O clube  não é privativo somente dos donos de grandes fortunas ,mas também de pequenos “capitalistas” que assimilaram e praticam a reza e os mandamentos do cifrão, com tanta gana quanto. Continue lendo “O GOZO DA VIDA NO CEMITÉRIO”