CURITIBA, CAPITAL DA “NOVA MODA”

Por Valentin Ferreira

Foto: www.comoserrosaprendi.com

CURITIBA, A CAPITAL DA “NOVA MODA”

A bela e simpática capital paranaense símbolo e modelo urbanístico no Brasil, tornou-se também, nos últimos tempos, a capital de uma nova moda.

As criativas   inovações do mundo moderno, avançam também sobre o mundo do Direito, e vão se consagrando em nova moda. Lá, mais especificamente nas salas e corredores da Justiça Federal, um movimento frenético e sob o patrocínio da alta costura e costurada com a   grande mídia, são produzidos em larga escala “novos modelos” para vestir a interpretação das Leis. São criações desenhadas, modeladas e vestidas nos mais diferentes dispositivos legais.

Nesta semana uma juíza confeccionou em tecido rustico um modelo que vestiu o artigo 5º da CF. Um tubinho que mal permitia pequenos passos. Já o juiz das famosas camisas pretas, há tempo vem aplicando modernos trajes que exigiram até refinada ousadia dos Jurados da 4ª Região de Moda. Exigidos e sob pressão da plateia sentenciaram: Situação especial, tratamento excepcional. Claro que isso só se aplica no âmbito da lavadora de roupas, objeto de glamour.

Os “modelitos”ali produzidos em tecidos de cores neutras que desfilam pela passarela curitibana sempre muito bem iluminados por capas de revistas da moda Fa-shion-cista, inspirada na bela Itália da década de 1920. E claro, tem também peças bem desenhadas com cores nacionais e transnacionais vindas do hemisfério norte que causam furor e intenso aplauso silencioso dos membros do Jurado Superior.

Dado o sucesso, vê-se que a influência da nova moda curitibana avança a passos largos Brasil afora. Nesta semana um modelo de Juiz de Brasília não se fez de arrogado. Colocou sua criação impecável em desfile. Com desenhos de vocábulos e concordâncias verbais em perfeita sintonia com a decisão, teve seus cinco minutos de glória na grande passarela do planalto central. Apostou e teve a simpaticíssima aprovação dos críticos da área.

Constata-se também, que o jurado máximo da nova moda representado pela Alta Corte, perdão, Alta Costura parece apreciar e aprovar esta nova natureza fashion. Inspirados pelas cores do outono passado –mais precisamente no grande evento que se comemora hoje um ano – deixam transparecer sob a renda francesa, a nudez da tosca omissão.

Criadores e apoiadores na nova moda estão felizes e esperançosos com os resultados obtidos. Os grandes eventos realizados até agora remetem a um grande objetivo: Alcançar pleno sucesso com a fashion week na primavera de 2018.

Se houver tal primavera.

Valentin Ferreira