2050: COMO SERÁ O DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE?

Por Valentin Ferreira

Resultado de imagem para copo de agua

Domingo, 11 de junho. São 5 e pouco da manhã. O termômetro registra que é a mais fria do ano. Como de hábito, tomo alguns goles de água e volto para a cama. Hoje é domingo. Vou de cama até mais tarde. Não deu. Não consegui dormir mais.

Os pensamentos começaram a fazer certas perguntas, algumas com respostas, outras não. A questão principal era a água. Talvez pela proximidade do dia mundial do Meio Ambiente “comemorado” no último dia cinco. Levantei-me e fui anotar algumas coisas.

Primeiro, fui atualizar informações, algumas desde o tempo do “primário” e outras que possivelmente a ação do tempo e do homem poderia ter mudado.

Se tiver um pouco de paciência, peço sua companhia. Não vai durar muito.

Vivemos num planeta onde mais de 2/3 e coberto por água. Maior parte salgada, 97%. Dos 3% restante, somente 1% é acessível.

No corpo humano, em média, 63% é água (65% nos homens e 60% nas mulheres)

Órgão Porcentagem de água
Encéfalo de embrião  92,0%
Músculos 83,0%
Pulmões  70,0%
Rins  60,8%
Ossos  48,2%
Dentina 
12,0%                         Fonte:Unijui.edu.br

E o que comemos, bebemos, vestimos, também precisa de água.

Veja abaixo a quantidade de água gasta para produzir alguns alimentos e bens de consumo:

Produto Quantidade de água necessária
Trigo 132 litros por kg
Queijo 600 litros por kg
Milho 108 litros por kg
Algodão 2.495 litros por 250g
Pão 1.608 litros por kg
Arroz 2.497 litros por kg
Pizza 1.239 litros por unidade
Maçã 822 litros por kg
Banana 790 litros por kg
Batata 297 litros por kg
Leite 255 litros por copo (250 ml)
Tomate 214 litros por kg
Vinho 109 litros por kg (250 ml)
Cerveja
74 litros por copo (250 ml)                                  Fonte:Vidasim.com.br

PERDA DE ÁGUA TRATADA – DESPERDÍCIO DE RECURSOS NATURAIS E FINANCEIROS

Ainda está fresca em nossa memória as agruras passadas por algumas cidades e regiões, principalmente no Estado de São Paulo, na famosa “crise hídrica”  há quase dois anos.

Foi noticiado como a pior crise dos últimos 80 anos. Alerta? Com certeza!

Minha curta passagem por Autarquia de Água e Esgoto, coincidiu com aquele momento. Foi suficiente para me informar e ensinar fatos e dados que não tinha noção.

Exemplo: A água desperdiçada no caminho entre os mananciais (rios, tanques, poços) até a torneira de nossa casa é alguma coisa que beira o escândalo. Regiões mais populosas como Sudeste, a média é de 33%, já a Norte é 45%, com média 39%. Entre as capitais, Goiânia tem 23% e Macapá, 73% de perdas.

PEQUENOS MUNICÍPIOS, GRANDES DESAFIOS

É importante registrar que boa parte dos Municípios pequenos onde prevalece vícios em práticas de manutenção e gestões saudosistas e atrasadas, a perda de água tratada chega a inaceitáveis 50%, 60%.

São necessários, portanto, investimentos em tecnologia, disponível no mercado.

A redução de perdas de água na distribuição garante, entre outros os seguintes resultados positivos:

  1. Permanência da água nos rios, lagos e poços.
  2. Redução de gastos com energia, insumos químicos e serviços de pessoal.
  3. Redução no preço da tarifa.

A grande maioria das populações de cidades onde se perde tantos recursos, não são informadas suficientemente sobre esses números.

No mundo, países que não tem a mesma riqueza natural como o nosso, não perderam tempo. Sabem que a água é um bem não renovável

“A gente vive no Brasil com uma falsa ideia de abundância de água”, diz Malu Ribeiro da SOS Mata Atlântica, em entrevista ao G1. Para ela, “o mau uso da água no Brasil reflete um fator cultural”.

A grandeza do tema “ÁGUA” em todas as suas variáveis. O necessário engajamento social exigindo empenho do poder político, merece muito mais que uma pequena reflexão em uma manhã de domingo.

Até porque, num futuro que está muito próximo, são sabemos se “comemoraremos” o dia mundial do Meio Ambiente em um ambiente de Paz. Por causa da água.

Valentin Ferreira