43% DOS BRASILEIROS QUE COMPRARAM IMÓVEL EM MIAMI NÃO DECLARARAM BEM.

Por Valentin Ferreira / Da Folha S.Paulo

MAELI PRADO /Folha
DE BRASÍLIA

A partir de agosto, o Fisco vai começar a autuar esses contribuintes caso não façam adesão à segunda etapa da repatriação, que termina dia 31 de julho.

Os brasileiros são a segunda nacionalidade que mais compra imóveis na cidade americana. Em termos de valores, é a primeira nacionalidade –somente em 2015, foram US$ 730 milhões, ou seja, um valor médio de US$ 766 mil por imóvel.

“Cerca de 75% dessas aquisições são pagas à vista, em dinheiro”, afirmou Iagaro Jung Martins, subsecretário de fiscalização do órgão. “E 65% dessas aquisições foram feitas através de empresas limitadas”, declarou.

Segundo Martins, entre os que declararam o imóvel adquirido, 22% não informaram o valor integral da propriedade. “A compra desses imóveis em Miami cresceu muito de 2011 para cá”, disse. “Estamos esperando o fim do prazo da segunda etapa da repatriação, e vamos começar as autuações de quem não aderir em agosto”.

BALANÇO

As autuações fiscais da Receita Federal somaram R$ 73,6 bilhões no primeiro semestre deste ano, um aumento de 12,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. É o maior valor desde o primeiro semestre de 2015, quando as autuações somaram R$ 75,1 bilhões.

O principal foco no período foram os grandes contribuintes pessoas jurídicas, que representaram 75% do total –essas autuações somaram R$ 55,2 bilhões, alta de 13,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

LAVA JATO

A Receita informou ainda que, entre 2015 e 2017, as autuações do órgão relacionadas à Operação Lava Jato somaram R$ 12,8 bilhões. Somente no primeiro semestre, as autuações somaram mais de R$ 4 bilhões.

De acordo com Martins, 177 pessoas físicas e jurídicas relacionadas à Lava Jato ainda estão sendo investigadas.

Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/mercado