A VITÓRIA DE TEMER É DERROTA DO POVO E LOUVOR À CORRUPÇÃO.

Por Valentin Ferreira

Fotomontagem do Blog

por Valentin Ferreira

Um governo que tem o apoio de apenas 7% da população não poderia fazer outro jogo para se safar da acusação feita pela Joesley Batista, a não ser comprar os votos necessários para não ser investigado

O grande derrotado é o povo brasileiro que de acordo com pesquisas , 80% queriam que o presidente Temer fosse investigado. E pior. Um verdadeiro  louvor à corrupção.

Não é a toa que a maioria dos políticos tem a pecha que tem. Há um ano, tiraram do poder uma presidenta honesta, cujo motivo do seu afastamento não entrou a palavra corrupção. Muito diferente do atual presidente, contra o qual pesa a acusação de JB, de ser, conforme a revista Época(foto abaixo) mostra “o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil” em reportagem recente com a entrevista do denunciante.

O Brasil dá mais alguns passos para trás em sua trajetória em fazer um efetivo e abrangente combate a corrupção. O fato ocorrido hoje demonstra que a Lava Jato combate hipotética corrupção de uns e fecha os olhos para a corrupção de outros. São esses outros que derrubaram a presidente para matar a Lava Jato. E estão conseguindo. Sob o silencio de Moro e sua força tarefa, dentre os quais o Procurador Carlos Fernando dos Santos Lima,(foto e texto abaixo) Procurador Regional da República, que  afirmou textualmente: “infelizmente, a verdade é que não queriam acabar com a corrupção, mas derrubar Dilma Roussef”. Bingo!

Revista ÉPOCA - capa da edição 991 - Entrevista exclusiva com Joesley Batista: "Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil" (Foto: Revista ÉPOCA)

procurador lava jato tirar dilma não contra corrupção
Carlos Fernando dos Santos Lima, Procurador Regional da República (reprodução)

Em mensagem publicada em sua rede social, o procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa da Operação Lava Jato, afirmou nesta segunda-feira, 24, que ‘o próximo passo do PMDB‘ parece ser acabar com a investigação.

Carlos Lima reagiu à entrevista do vice-presidente da Câmara dos Deputados e substituto imediato de Rodrigo Maia (DEM-RJ), o deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), ao jornal O Estado de S. Paulo, na qual o parlamentar defendeu um “prazo de validade” para a Lava Jato.

O procurador afirmou que “as investigações vão continuar por todo o País”.

Acabar com a Lava Jato. Esse parece ser o próximo passo do PMDB. Infelizmente muitas pessoas que apoiavam a investigação só queriam o fim do governo Dilma e não o fim da corrupção. Agora que Temer conseguiu com liberação de verbas, cargos e perdão de dívidas ganhar apoio do Congresso, o seu partido deseja acabar com as investigações. Mas, mesmo com todas as articulações do governo e de seus aliados, as investigações vão continuar por todo País”, escreveu.

Na entrevista, Fabio Ramalho afirmou que “o Brasil não vai aguentar isso para o resto da vida”. “Ela (Lava Jato) não pode ser indeterminada. Ela já fez o seu trabalho”, disse o deputado.

Defendo a Lava Jato, mas tem de ter prazo de término. O Brasil não vai aguentar isso o resto da vida. Além da corrupção, tem de se avançar na desburocratização do País, na segurança jurídica do País, nas reformas.”

Questionado sobre qual seria o prazo para a Lava Jato terminar, o deputado declarou. “Determina um tempo: seis meses.”

Agência Estado – Com informações do Site Pragmatismo Politico.