NO CHILE, A REVOLUÇÃO É JOVEM

Postado por Valentin  FerreiraNo Chile, a revoluçãoCariola, Jackson, Boric e Vallejo: do movimento estudantil para o Parlamento

por Rogério Tomaz Jr.* — Carta Capital
Da enorme renovação do Congresso, a maior desde o fim da ditadura, emergem lideranças na faixa dos 30 anos identificadas com o pensamento de esquerda

A grande novidade política na América Latina vem da cordilheira dos Andes. E ela é jovem e de esquerda. O Chile surpreendeu o mundo, sobretudo o consórcio local entre a mídia e os institutos de opinião, com os resultados das eleições do domingo 19.

A mudança no tabuleiro político no país de 18 milhões de habitantes deve muito ao renascimento do movimento estudantil na virada da década passada. Entretanto, os números da nova força política surgida das urnas surpreenderam até os mais otimistas militantes.

Leia Matéria Completa: Aqui