ANSIEDADE E FRUSTRAÇÃO MARCAM GERAÇÃO Z

Postado por Valentin Ferreira

Por João Luiz Rosa / Valor Econômico

Se você tem 30 anos ou mais provavelmente já sentiu uma certa inveja da rapidez com que adolescentes e crianças teclam em seus smartphones ou da facilidade com que fazem várias coisas ao mesmo tempo – ouvir música no Spotify, “curtir” postagens no Facebook, conversar pelo WhatsApp, ver vídeos no YouTube – tudo pelo celular. Mas essa intimidade com a tecnologia não garante só vantagens aos “centennials”, como são chamados os nascidos entre 1996 e 2010. Também conhecida como geração Z, essas pessoas, hoje com 22 anos no máximo, também sofrem os efeitos da digitalização crescente do dia a dia.

Leia matéria completa: AQUI