AS PERGUNTAS QUE NÃO FIZERAM NA ESCOLA

Postado por Valentin Ferreira

Por Luiz Fernando Praga /Carta Campinas

Por que um ser humano ilude, engana, aplica golpes em outro(s)?

Por que o resultado se converte em dinheiro ou benefício material para o enganador e em todo tipo de prejuízo para a vítima?

Por que acreditamos que o prejuízo do próximo pode nos trazer algum benefício? Por que ainda não percebemos que essa cultura gera danos sociais que prejudicam a todos? Quem nos diz para prejudicar ao invés de ajudar? Quem nos impele a competir ao invés de cooperar?

Por que quem tem acesso à informação de qualidade tem menores chances de ser enganado e, não raro torna-se o enganador?

Por que o acesso à informação de qualidade, na maioria dos lugares, é privilégio de quem tem mais dinheiro?

Por que apenas 8% da população mundial detêm 84% da riqueza do Planeta enquanto os outros 92% dividem só os 16% da miséria que sobra?

Por que são sempre os 8% mais ricos que decidem iniciar uma guerra? Por que são sempre os pobres que se matam nas guerras que os ricos decidiram começar? Por que o ser humano fez tantas guerras e já matou tantos irmãos em nome de deus? Por que os pobres ainda se odeiam e se matam em nome de deus e os ricos continuam enriquecendo, mais e mais, à custa da ilusão dos pobres e do nome de deus?

Por que os enganados têm dificuldade em admitir que estão sendo enganados? Por que são iludidos e usados a vida toda, muitas vezes, por gerações, sem perceberem que caíram num golpe? Será essa a definição de “golpe perfeito”?

Por que os mais poderosos impérios do Planeta sempre contaram com uma classe dominante diminuta, mas muito abastada, a controlar soldados pobres e escravos miseráveis, na dependência desse abismo social para realizar seu lucro e consolidar de seu poder?

Por que um país imperialista, rico e poderoso, escreve em suas notas de dinheiro “EM DEUS NÓS CONFIAMOS” e ainda assim é o país que mais mata gente fora de suas fronteiras, que mais envia cidadãos para matarem e morrerem no front, que mais investe na indústria bélica, que mais se envolve em conflitos armados pelo mundo? Pode ter a ver com enganação?

Por que os grandes veículos de mídia sempre foram controlados pela elite e usados para iludir as massas? Por que hoje não seria assim? Por que a mídia induz os pobres, através de propagandas enganosas, a gastarem o pouco que têm a fim de alimentarem corporações capitalistas bilionárias? Por que o povo não assimila que a mídia o ilude e joga contra ele?

Por que os iludidos não imaginam que os profissionais da propaganda enganosa os possam estar enganando há muito tempo, em muitas outras frentes?

Por que se gastam milhões com marqueteiros para se eleger um político? Quem paga esses milhões para que um político seja eleito? Com quais interesses uma empresa financia a campanha de um político? A quais interesses irá representar um político eleito graças ao dinheiro de uma corporação capitalista, mesmo que tenha sido votado por pobres? Quais interesses o congresso nacional tem representado no Brasil, desde que foi fundado, em 1826?

Por que os pobres nascem e morrem pobres? Por que nossa miséria e ignorância são doenças crônicas e não há perspectiva de cura no modelo atual? Por que nossa aristocracia é cheia de privilégios, é corrupta, bandida, grileira, genocida e se mantém a mesma, invulnerável e intocável desde os tempos do império?

Por que o povo brasileiro sente medo e ódio de países pobres, sem qualquer vocação imperialista, mas confia nas boas intenções de países ricos, imperialistas, escravagistas e dependentes das guerras para manter viva sua economia?

Por que o nosso povo sente ódio e medo de políticos e programas políticos voltados para a diminuição da desigualdade social e da ignorância? Por que o pobre reproduz o discurso da elite de que os programas sociais são as armas eleitoreiras dos populistas? Por que damos mais importância às propagandas e ao que se divulga no jornal nacional que aos planos de governo?

Por quê, senão por ignorância, uma pessoa abre mão de sua vida, de adquirir conhecimentos e autonomia, essenciais para si e para o coletivo, mas se permite ser explorada em benefício de um magnata?

Por que o povo brasileiro se omite quanto a denúncias de desvios de verbas, corrupção, tráfico de drogas e até assassinatos cometidos por representantes da elite? Será que é porque a mídia também se omite? De quem é a mídia?

Por que o povo brasileiro é conivente com os desmandos daqueles cujo projeto político é continuar enriquecendo através da exploração dos pobres e da venda de recursos a exploradores internacionais?

Por que nosso povo se comporta como um cão de guarda quando a elite criminosa o incita a caçar os que podem dar ao povo uma dignidade jamais alcançada? Será que é porque a mídia também o incita? Quem é a mídia? A quem ela representa?

Por que faz tanto tempo que a estrutura de nossa pirâmide social permanece intacta?

Que culpa tem um adolescente pobre por ocupar a base dessa pirâmide, se esse sempre foi o local reservado a todos os seus antepassados, a todos os seus vizinhos, a todos os excluídos desse país? Que culpa tem uma criança pobre por passar fome e não ter saúde, se ela já nasceu em péssimas condições, oprimida por uma sociedade mesquinha e competitiva, por uma justiça branca, engravatada e elitizada que trabalha duro para manter inalterado esse quadro?

Será que é a partir do topo da pirâmide que virá alguma transformação revolucionária?

Por que os ricos enganam os pobres há tanto tempo e o pobre ainda confia mais num rico que num pobre, até para gerir a sua vida?

Não será ilusão quando um povo explorado há séculos, pela mesma elite, enxerga que seus principais inimigos sejam os mais pobres?

Não seria por ilusão, enganação premeditada e manipulação de massas que pessoas vitimadas pela fome e pela privação de direitos básicos façam festa quando o sistema judiciário coloca mais um pobre na cadeia? Não será por um engano que um povo explorado sinta-se vingado quando a justiça enfia mais milhares de pobres na cadeia e abarrota nosso sistema penitenciário apenas com quem cometeu o crime de nascer na base da pirâmide e não pode pagar um advogado?

Por que o povo brasileiro é machista e culpa, pelos estupros, as mulheres estupradas? Por que o povo brasileiro é machista e tolera que homens cometam abusos contra mulheres, mas não aceita que as mulheres sequer exerçam sua liberdade sobre o próprio corpo?

Por que parte do povo brasileiro comprou a causa da mídia e abraçou uma guerra contra seus compatriotas e sua democracia para derrubar da presidência da república uma mulher que tentava governar para as mulheres, para os pobres e excluídos?

Quanto tempo de má educação e mentiras foi preciso para que nos transformassem em ignorantes, machistas e preconceituosos tão prepotentes? Por que os preconceituosas se acomodam nas respostas prontas e se incomodam com perguntas pertinentes?

Por que uma parte do povo brasileiro, que não se considera iludida nem usada, aplaude quando a mídia e o sistema judiciário condenam um político de origem pobre, mesmo que ele tenha sido acusado por membros de nossa tradicional aristocracia política ficha suja e que inúmeros intelectuais e juristas concordem em que não há provas para tal condenação? Por que uma parte de nosso povo acompanha o clamor da elite e exige que uma justiça sabidamente corrompida coloque suas garras sobre um político pobre: uma ameaça ao poder instituído, que ousou governar em prol do povo e que muito fez pelos menos favorecidos; e o exclua de um cenário político com eleições iminentes?

Por que a parte do povo que acha que jamais se engana agride e ofende a quem luta pelo direito à defesa de um homem difamado pela mídia e perseguido pela justiça, que mora há mais de 20 anos no mesmo apartamento de classe média e cujo patrimônio é muito menor que o de seus principais acusadores e que o juiz que o condenou?

Por que parte do povo brasileiro não bate panelas nem reage patrioticamente diante da parcialidade da justiça e da omissão da mídia para com os crimes de grande monta, dos bandidos ricos, dos colarinhos brancos, das famílias aristocráticas, dos banqueiros, dos juízes e de grandes empresários? É porque a mídia não mandou ir pra rua?

Por que esse povo, que pensa que não é pobre e que não está sendo usado, não enxerga sua própria história? Por que não percebe que a história está se repetindo e se repetirá eternamente até que os principais interessados (e isso os inclui) reajam a essa estrutura social viciada? Por que acreditam que seus problemas começaram só há 15 anos, como a mídia dá a entender?

Por que bajulamos quem destrói nossa dignidade, nossa esperança e nossas vidas e só lutamos contra os mais frágeis? Por que é tão forte, entre nós, a cultura da desunião? Por que não desafiamos a mídia, a justiça e os políticos que fazem perpetuar a injustiça social?

Por quê, para os poderosos, é tão importante cultivar um povo que aceite e não questione, um povo ignorante, sem escola ou vindo de uma escola que ensine a mentira? Como iludir se não for assim, se o povo não for estúpido? Como dominar, caso os explorados se cansem de ser estúpidos e reajam?

Como dominar a multidão que descobrir que só é frágil porque é desunida e que só é desunida porque a fizeram ignorante e escravizada, cegada de enxergar seus verdadeiros algozes e amputada de seus potenciais?

Como dominar e explorar um povo que adquira a consciência de entender quem o está iludindo e prejudicando há tantas gerações? Como dominar, caso a força de trabalho do povo deixe de servir aos 8% mais ricos do mundo e seja direcionada às prioridades de um mundo sustentável, de uma sociedade saudável e de um ser humano livre?

Por que um governo golpista institui uma escola sem pensamento crítico, em que não se pode falar em luta de classes? Por quê, enquanto a educação é sucateada e o incentivo à ciência é reduzido a patamares ridículos, um estado pobre, governado por um político contrário ao golpe, e que governa para o povo, é o que paga o melhor salário inicial para os professores do país do golpe? Por que a mídia não divulga isso? Por que o dedinho fraturado de um jogador de futebol é mais importante que uma revolução na educação? Por que tornaram facultativo o ensino da História nas escolas brasileiras? Por que dizem que nosso povo não tem memória?

Por que as grandes crises alardeadas pela mídia são sempre as econômicas? Não seriam mais graves as crises da ética, da cidadania e do ensino público? Por que a mídia faz questão de cultivar um público que tenha mais medo de ser pobre que de ser cruel e ignorante?

Podemos estar sendo vítimas de uma enganação milenar? O golpe das elites pode ter vindo em resposta à ameaça da conscientização das massas? Será que é por isso que reagem violentamente, espalhando o medo e queimando as bruxas, como já fizeram antes?

Por que um governo golpista diz que o povo precisa trabalhar ainda mais, ganhando ainda menos e por muito mais tempo? Será para não ter tempo de pensar? Por que a elite golpista incita a população a odiar os aliados do povo? Por que o governo faz propaganda da intervenção militar no Rio de Janeiro como se fosse uma coisa muito boa? Por quê, apesar das atrocidades na Síria, parte do povo deseja a intervenção militar no Brasil, tanto quanto deseja que os Estados Unidos da América do Norte invadam e destruam a Venezuela? Por que igrejas não pagam impostos no país do golpe? Por que pastores ávidos por dinheiro compõem a maior bancada de políticos golpistas no congresso? A quais interesses as bancadas da bala e da bíblia representam? Até quando seremos ovelhinhas subservientes, aguardando que a salvação caia do céu? Por quê, depois de tantas guerras e mortes, de tanta enganação, de tanta má fé para com o ser humano, golpe após golpe, ainda em 2018, “IN GOD WE TRUST”?

Por que não paramos imediatamente pra pensar se é só isso, se é só o “mais do mesmo” o que a evolução reserva para a espécie humana?