COMO NO CASO LULA, PROCESSO CONTRA REITOR QUE SE MATOU TEM 817 PÁGINAS E NENHUMA PROVA

Postado por Valentin Ferreira / do Brasil 247

O nome do reitor Luiz Calos Cancellier de Olivo aparece oito vezes nas seis primeiras páginas do relatório fina da Polícia Federal sobre supostos desvios de verba da Universidade Federal de Santa Catarina; mas em todo o restante do relatório não há uma prova sequer contra o reitor – que se jogou de um shopping de Florianópolis 18 dias depois de ter sido preso pela operação Ouvidos Moucos, em 2 de outubro de 2017.

Cancellier aparece de maneira indireta uma vez em todas as 817 páginas do relatório, quando ali se descreve o episódio dos repasses na conta de seu filho Mikhail, três depósitos feitos pelo professor Gilberto Moritz que totalizaram R$ 7.102 reais, feitos quando Cancellier ainda não era reitor da universidade.

Leia matéria completa:AQUI