MOURÃO NÃO É POSTE

Por  Blog do Valentin

Por Valentin Ferreira

Mourão, o vice-presidente, move-se com desenvoltura no vácuo criado pela ausência de “presença”  do capitão presidente.

Vislumbra que em muito breve terá de assumir o leme da nau dita Brasil. Percebeu o vice, o que muitos, desde lá  trás já haviam descoberto: o capitão é vazio de tudo, exceto como semeador de preconceito e violência.

Ao passar toda a campanha encoberto pelas redes sociais e fugitivo dos debates de TV confessou através do silêncio aquilo que acumulou durante quase três décadas de medíocre mandato parlamentar: não ter nada para oferecer ao Brasil, a não ser suas bravatas.

Circundado por um trio de filhos que os dias vão revelando o que são, reforça a já debilitada condição de governar. Fiasco elevado ao quadrado.

Nas eleições passadas dizia-se que Lula com sua liderança e patrimônio políticos elegeria um poste. Desta feita, mesmo com sua não presença na disputa, mas pela rejeição cavalar ao PT, acabou por influenciar na disputa, desta feita sim, elegendo um poste.

Nos próximos meses, o capitão da reserva disputará ferrenha queda de braço com seus iguais da ativa. Muito ativos.Apenas um mês foi suficiente para comprovação da sua incompetência para liderar e governar. Ponto para o Mourão que comprovou sem muito esforço ser melhor que o titular.

Aprende-se deste cedo na roça, que não se leva cobra para dentro de casa.

O capitão que caçou a laço a vice candidatura que ninguém queria ocupar, encontrou o general Mourão, cobra criada. Com ele vieram para o governo mais de duas dezenas de seus iguais, que não estão dispostos a perder prestígio a bordo que um desgoverno. Daí…

É esperar para ver.