O JOVEM NEGRO NO EXTRA E O CACHORRO NO CARREFOUR

Postado por Blog do ValentinA morte de um cachorro no Carrefour gerou mais indignação que a do jovem negro estrangulado no supermercado Extra. A cena do assassinato é dantesca;

Um jovem morreu após ser estrangulado por um segurança do hipermercado Extra na Barra da TijucaZona Oeste do Rio, na tarde de quinta-feira, dia 14.

A alegação é a de que Pedro Henrique Gonzaga, de 19 anos, teria tentado roubar a arma do homem, segundo O Dia.

O segurança Davi Ricardo Moreira foi preso, mas já saiu na madrugada desta sexta da Delegacia de Homicídios.

Vai responder em liberdade.

Pedro foi imobilizado em um “mata-leão”. Deveria ter sido solto quando ficou inconsciente.

O predador largou sua presa quando era tarde demais.

Tudo foi filmado. (veja abaixo,o vídeo )

Por Kiko Nogueira, DCM

Um jovem morreu após ser estrangulado por um segurança do hipermercado Extra na Barra da TijucaZona Oeste do Rio, na tarde de quinta-feira, dia 14.

A alegação é a de que Pedro Henrique Gonzaga, de 19 anos, teria tentado roubar a arma do homem, segundo O Dia.

O segurança Davi Ricardo Moreira foi preso, mas já saiu na madrugada desta sexta da Delegacia de Homicídios.

Vai responder em liberdade.

Pedro foi imobilizado em um “mata-leão”. Deveria ter sido solto quando ficou inconsciente.

O predador largou sua presa quando era tarde demais.

Tudo foi filmado.

Está desmaiado, não está não?”, pergunta alguém.

Está sufocando ele”, diz uma mulher.

Ele está com a mão roxa”, afirma outra.

Todos obedecem quando lhes é ordenado que calem a boca.

Ninguém faz nada.

O vídeo vai ganhar likes nas redes sociais.

Jornal O Dia

@jornalodia

Jovem de 19 anos morreu após ser imobilizado em um “mata-leão” por um segurança do hipermercado Extra, na Barra da Tijuca

9.198 pessoas estão falando sobre isso

Pedro morreu no hospital após uma parada cardiorrespiratória. O supermercado emitiu uma nota protocolar, afirmando que os funcionários foram afastados.

Mais um que virou estatística. Bandido bom é bandido morto.

Foi sob violenta emoção, certo, doutor Moro? Talquei?

A comoção durou algumas horas e amanhã ninguém se lembrará de mais nada.

Um cachorro abatido a pauladas no Carrefour de Osasco gerou uma onda de indignação no país durante semanas, mobilizando anônimos e famosos.

Páginas e páginas no Facebook homenagearam o cão. Nenhuma será feita para exigir justiça a Pedro.

Antes que você me acuse de odiar os animais: estou fazendo apenas uma constatação.

Olhe à sua volta.

É a vida como ela é. Nada de novo sob o sol.

Pobres de nós.