PELA EDUCAÇÃO, 1,5 MILHÃO DE ESTUDANTES FORAM ÀS RUAS NESTE 13/08

Postado por Blog do Valentin

Ao todo, 205 cidades tiveram atos em todos os estados mais o Distrito Federal

Mais uma vez os estudantes lotaram a Avenida Paulista nesta terça-feira (13/8) terceiro grande ato da educação, via mais famosa do país para protestar contra o desmonte no setor público. Convocada nacionalmente pela UNE, em São Paulo a manifestação saiu de frente ao MASP e foi até a Praça da República no centro reunindo quase cem mil pessoas. Pelas ruas eles empunhavam um bandeirão com a imagem do mártir estudantil Fernando Santa Cruz, morto pela ditadura militar, como uma resposta ao ataque do presidente Bolsonaro ao pai do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz. “Oferecemos a luta de hoje em homenagem ao herói Fernando Santa Cruz”, declarou o presidente da UNE, Iago Montalvão.

Recém empossado presidente da entidade que completou 82 anos no último domingo, o estudante de economia da USP disse que o governo Bolsonaro escolheu a educação e os estudantes como alvo e rechaçou novamente o projeto Future-se do MEC. “Estamos nos mobilizando porque não vamos aceitar a privatização da universidade pública. O Future-se não vai passar. Não há futuro com Bolsonaro”, afirmou Iago.

Leia AQUI a posição da entidade sobre o programa.

A vice-presidenta da UNE, Élida Elena destacou o processo que a entidade vem construindo de assembleias massivas nas universidades para debater a situação da educação e o projeto Future-se. “Os estudantes estão curiosos e estão atentos as agendas de mobilização. Existe uma faísca e uma disposição de luta grande, proporcional ao tamanho dos ataques que temos recebido.

Ela acredita que com o agravamento da situação das universidades – como a UFMT que chegou a ter a luz elétrica cortada – e a impossibilidade das demais instituições de se manterem funcionando vai inflar a luta coletiva. “Vamos seguir mobilizando sobre a importância dos atos para pressionar o governo federal”.

Fonte: UNE