OS DOUTORES OMISSOS DO BRASIL

EM CUBA, MAIS DE 28.000 ESTUDANTES DE MEDICINA SE ENCARREGAM DE VISITAR DE PORTA EM PORTA TODOS OS HABITANTES DA ILHA PARA PREVENIR OU DETECTAR CASOS DE CORONAVÍRUS. FOTO: ADALBERTO ROQUE/AFP…

Os conselhos de Medicina, tão aguerridos no combate ao programa Mais Médicos, silenciam diante da tragédia da Covid-19.

Por Sergio Lirio /Carta Capital

As cenas em Manaus são dignas do mais obscuro recanto das trevas da Idade Média. Pacientes morrem sufocados, abandonados à própria sorte, nos corredores, como morriam nas ruas as vítimas da peste. Contados às dezenas, enterrados em fileiras não muito diferentes de uma vala comum. Falta oxigênio, a mais básica e vital substância da vida.

O mundo se horroriza, compatriotas se enternecem, mas qual a reação do Conselho Federal de Medicina? Uma nota acaciana sobre a urgência da vacina. “A imunização de grande parcela da população é fundamental para que haja redução significativa da circulação do vírus”, ilumina o texto. Sábios.

Se a associação dos profissionais que lida diretamente com a tragédia é incapaz de se comover e se indignar com a sequência de erros, omissões e crimes cometidos repetida e sistematicamente pelas autoridades federais, o que esperar do resto do País?

Leia matéria completa :AQUI