“QUEM FICA EM SILÊNCIO É CÚMPLICE DESSE REGIME FASCISTA”, DENUNCIA FELIPE NETO

Por Deutsche Welle

Com mais de 40 milhões de seguidores no YouTube e 13 milhões no Twitter, Felipe Neto diz levar muito a sério a responsabilidade de não desinformar seu público, e defende a importância de artistas e influenciadores se posicionarem politicamente. “Quem fica em silêncio é cúmplice desse regime fascista, e não podemos ficar em silêncio quando enfrentamos alguém como Jair Bolsonaro.”

Ao ser perguntado se milhões de seguidores podem oferecer proteção à sua liberdade de proteção, ele disse que “eles não podem literalmente proteger, mas podem colocar pressão no governo”. “Quando você tem milhões de seguidores, não é que você esteja protegido, mas com certeza tem algum tipo de poder para contra-atacar”, contou.

Ele teceu críticas a Jair Bolsonaro, afirmando que o governo atual mente para a população e tenta convencê-la de coisas que não são verdadeiras. “Quando eles tentam dizer às pessoas que eu sou um pedófilo como eles fizeram, que estou envolvido em comportamentos criminosos e todas as mentiras que eles tentam imputar a mim, eu tenho a oportunidade de falar com meu público, de olhar nos olhos deles, de dizer, provar e mostrar a verdade. E eles podem usar a verdade para convencer outras pessoas na internet”, frisou.

Sobre o resultado de seu apelo para que artistas, youtubers e outros influenciadores se posicionassem politicamente, Felipe Neto disse que muitos deles decidiram simplesmente não dizer nada porque têm medo de perder seu público ou entrar “numa guerra”.

“O Brasil está enfrentando uma situação muito delicada. O que eu disse é que, quando estamos enfrentando o fascismo e os fascistas, todo mundo que decide ficar em silêncio é cúmplice desse regime fascista”, opinou. “É muito vergonhoso quando esses artistas e influenciadores decidem ficar em silêncio quando temos esse regime dominando o Brasil. E temos esse cara [Jair Bolsonaro] que é claramente um fascista tendo o poder de presidente do Brasil.”