O QUE CAUSA PERDA DE INTERESSE

Muitas vezes perdemos o interesse por empregos, pessoas, relacionamentos …
Nem sempre esse é um processo normal e irreversível. Podemos agir de alguma forma.

Todos nós temos sido vítimas da perda de interesse em alguma área de nossa vida. Aquele trabalho, aquela amizade, aquele casal romântico que costumava gerar euforia e muita satisfação, e talvez depois nem chama mais a nossa atenção… Mas, o que aconteceu? Será que erramos na hora de fazer a escolha? Talvez superestimamos as qualidades positivas dessa pessoa ou situação?

Perder o interesse por algo ou alguém pode causar culpa, frustração e grande indecisão sobre como agir. Portanto, é recomendável investigar sobre a origem desse desinteresse para tomar as decisões cabíveis.

O que causa a perda de interesse?

Existem vários motivos pelos quais pode ocorrer uma perda de interesse. Os mais comuns são os seguintes:

Habituação

A habituação é um dos processos de aprendizagem mais primitivos e comuns que existem. Consiste na diminuição da resposta a um estímulo que ocorre repetidamente. Em outras palavras, é o processo pelo qual deixamos de responder ao que não é mais uma novidade.

Ao longo do dia, podemos encontrar inúmeros exemplos desse fenômeno. O barulho de um aparelho elétrico deixa de nos assustar quando o ouvimos diariamente. Certa publicidade na beira da estrada a caminho do trabalho passa despercebida por nós. Os gritos dos pais que constantemente se dirigem aos filhos dessa maneira não terão mais efeito sobre os filhos, por exemplo.

Quando nos acostumamos a um estímulo, ele perde o poder de evocar uma resposta em nós. Desse modo, a ilusão se desvanece dia a dia e passamos a encontrar mil e um defeitos a aquela amizade, por exemplo, que a princípio quase considerávamos perfeita.

Da mesma forma, se nos referirmos a relacionamentos com um parceiro, os níveis de diferentes neurotransmissores se estabilizam com o tempo. Desse modo, a paixão dá lugar a um amor de companheirismo no qual a euforia inicial é substituída por maiores níveis de intimidade e compromisso.

Excesso de confiança

Outras vezes, perdemos o interesse porque consideramos o que temos como garantido. Quando algo é desafiador, começamos a trabalhar para isso. Ter uma meta nos leva a mobilizar nossos recursos e habilidades, e a satisfação em alcançá-la é alta.

Por outro lado, quando já é nosso, é comum que relaxemos e nos acomodemos. A felicidade pelo que obtivemos está perdendo intensidade. Quando temos um emprego fixo ou quando as pessoas nos dão atenção excessiva, sentimos que já não é preciso fazer esforço, o “elemento desafiador” desaparece.

O denominador comum em ambos os casos é que, de uma forma ou de outra, deixamos de valorizar as situações ou as pessoas ao nosso redor. Seja por hábito ou excesso de confiança, não achamos que podemos realmente perder o que temos.

O prejuízo causado por essa situação é evidente: nosso desempenho no trabalho será muito inferior, nossas relações sociais perderão qualidade porque não cuidamos delas e nosso parceiro pode ir embora porque não se sente valorizado..

Mulher preocupada com a perda de interesse do parceiro

A perda de interesse também deve ser trabalhada

Muitas pessoas pensam que a perda de interesse é inevitável, que faz parte do processo normal da vida. Assim, eles adotam uma atitude passiva e cômoda em situações que não os tornam mais verdadeiramente felizes. Ou, ao contrário, saltam de uma situação vital para outra, esperando que na próxima o desinteresse não apareça.

É fundamental saber que o interesse é trabalhado por meio de ações cotidianas. Se você sente apatia por tudo ao seu redor, provavelmente é porque você parou de dar valor a isso, e isso é algo que vem do seu pensamento. Temos o hábito de não dar valor as coisas boas que constituem nossas vidas e, portanto, estamos nos privando da capacidade de desfrutar.

Adquira o hábito de estar atento a cada dia de tudo o que você possui, de sentir plenamente a felicidade que isso traz. Trabalhe em sua gratidão e ensine sua mente a não considerar nada garantido. Lembre-se do quanto você ansiava pelo que agora possui e se dedique ativamente a desfrutar da presença disso em sua vida.

Uma mente grata e com foco positivo experimenta níveis muito mais elevados de felicidade e satisfação. Além disso, ela cuida naturalmente de seus relacionamentos e de suas circunstâncias, dando o melhor de si em cada um delas. Quem age dessa forma pode ter certeza de que a perda de interesse não o acompanhará mais em sua jornada.

Anedonia: o termo clínico para a perda de interesse

Por fim, é pertinente mencionar que a perda de interesse pode ser um sintoma característico de vários distúrbios psicológicos, como depressão ou esquizofrenia.

Nesses casos, o termo clínico utilizado para descrever essa atitude é ” anedonia “, que se refere à incapacidade de sentir prazer, bem como à falta de interesse ou satisfação em quase todos os aspectos da vida. No entanto, isso também pode se manifestar em aspectos específicos, como o apetite por comida, as relações sexuais ou as atividades de lazer em relação às desfrutadas anteriormente.

Em qualquer caso, há graus, portanto há aqueles que sofrem uma incapacidade total de gozar e obter prazer e outros apenas uma diminuição dessa capacidade.

Portanto, é importante estar atento a esses tipos de manifestações. Se a perda de interesse persistir com o tempo, é melhor pedir ajuda a um profissional da saúde mental. Por meio da terapia, as causas da anedonia e como tratá-las podem ser identificadas.

PUBLICADO ORIGINALMENTE POR: A mente é maravilhosa