MINHA MÃE FOI VACINADA. PODEMOS PASSAR O DIA DAS MÃES JUNTOS?

Getty Imagens

Do UOL

O segundo Dia das Mães durante a pandemia de coronavírus chega junto com a vacina para muitas famílias. Mas, mesmo com a imunização, os médicos alertam que é necessário tomar cuidado —manter as máscaras, o distanciamento social e evitar aglomerações.

Os especialistas afirmam que as vacinas não garantem 100% de proteção e mesmo as mães vacinadas devem tomar cuidado. Eles dizem que uma nova onda de contaminação pode acontecer independente da data, mas que precauções são sempre recomendáveis —para se evitar um novo colapso no sistema de saúde, como houve após as festas de fim de ano, por exemplo, em diversos estados.

Continue Lendo

SENTENÇA JUDICIAL EXIGE QUE REGINA DUARTE PEÇA DESCULPAS POR FAKE NEWS.

Ex-secretária da Cultura foi condenada a publicar nota por divulgar que
ex-primeira-dama Marisa Letícia tinha R$ 256 milhões na conta

Da Folha SP

A ex-secretária especial da Cultura e atriz Regina Duarte publicou nesta sexta (7) em seu Instagram “um sincero pedido de desculpas à memória de dona Marisa Letícia e a sua familia” após ter sido condenada por ter compartilhado fake news.

“Nunca foi minha intenção divulgar uma inverdade ou propagar fake news. Infelizmente, neste caso, fui induzida a erro e quero por isso estender, pelo sucedido, um sincero pedido de desculpas à memória de dona Marisa Letícia e a sua familia”, escreveu Regina Duarte.

Em 11 de abril de 2020, ela compartilhou a informação de que foram encontrados R$ 256 milhõesnas contas da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva.

Na verdade, o saldo apresentava R$ 26 mil. Um juiz confundiu a quantia aplicada em CDBs com debêntures de outra natureza.

Continue Lendo

CORTINA DE SANGUE NO RIO

É assustador que parcela numerosa da sociedade aplauda a explosão de brutalidade

Por Cristina Serra

Na linguagem miliciana, foram 28 CPFs cancelados. Wilson Witzel já prometera atirar na “cabecinha”. Seu substituto deve ter achado pouco. Menos de uma semana após assumir definitivamente o cargo, Cláudio Castro disse a que veio. Sob sua autoridade, uma operação policial resultou no maior banho de sangue já visto no Rio de Janeiro.

O estado tem histórico tenebroso de chacinas impunes, tanto aquelas produzidas por grupos de extermínio formados por policiais como as que decorrem de ações oficiais, supostamente para combater o tráfico, como agora na favela do Jacarezinho, com 27 civis e um policial mortos.

Continue Lendo

DESINFORMAÇÃO E IGNORÂNCIA

Esses são os resultados de Pesquisa do Instituto da Democracia e da Democratização da Comunicação aplicada entre os dias 20 e 27 de abril (2021 entrevistas, margem de erro 2,2%), denominada “A Cara da Democracia”. A pesquisa chegou aos seguintes dados: 22,2% dos brasileiros acreditam que a terra é plana; 50,7% acreditam que o coronavírus foi criado pelo governo chinês; 56,4% acreditam que os hospitais são pagos para aumentar o número de pacientes mortos pela Covid-19. Os dados expressam um retrato de desinformação, ou da formação distorcida da opinião pública, que afeta decisivamente o debate público e a democracia no Brasil. Ou seja, quando os brasileiros se posicionam sobre questão discutidas, formado muito provavelmente nas redes sociais, em especial no Instagram, no WhatsApp e no Youtube, que aparecem com destaque como meios de informação, logo depois do Facebook. (matéria completa no link abaixo)

Fonte Revista Forum

Continue Lendo

ACABOU A PACIÊNCIA

Não há mais sentido em discutir com bolsonaristas. A seita partiu para um universo paralelo onde 2 + 2 não é 4, mas qualquer número que seja oportuno para a narrativa deles, escreve Philip Lichterbeck.

Por Philip Lichterbeck/DW

No início, quando o bolsonarismo ainda era jovem, eu achava difícil ter paciência. Para mim, parecia absurdo, uma insanidade, que houvesse realmente brasileiros que quisessem tornar seu presidente um homem com tal biografia – sem méritos políticos, mas com muito barulho, que expressava publicamente fantasias violentas e tinha uma estranha propensão a falar constantemente de homossexuais.

Depois de quase 58 milhões de brasileiros terem discordado de mim, mudei minha postura. Eu queria entender o que havia acontecido. E comecei a ouvir bolsonaristas, acompanhando seus grupos e conversando com eles, sem sair imediatamente de mim quando eles apresentavam suas opiniões radicais e teorias grosseiras.

Continue Lendo