USO CORRETO DE MÁSCARA PODE REDUZIR CASOS DE COVID-19 EM ATÉ 20%, DIZ OPAS

Além do uso de máscara, distanciamento social e vacinação também tornam o fim
da pandemia mais próximo (Afp)

A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) enfatizou a importância de medidas como o uso de máscaras e o distanciamento social, a fim de reduzir os casos da Covid-19. Durante entrevista coletiva, o diretor assistente da entidade, Jarbas Barbosa, afirmou que estudos apontam que apenas o uso de máscaras já pode reduzir os casos da doença em 10% a 20%. “A vacinação e medidas como o uso de máscaras tornam o fim da pandemia mais próximo”, ressaltou Barbosa, que disse não ser possível agora fazer uma estimativa sobre quando terminará a pandemia.

Continue Lendo

OS RIOS E LAGOS DO BRASIL ESTÃO DESAPARECENDO?

Relatório expõe calamidade: em 35 anos, o país viu secar 15% da sua superfície da água. No
MS, perda foi de 57%. Maior redução ocorreu próximo às fronteiras agrícolas; temperaturas
extremas e construções de barragens aprofundam devastação

No WWF Brasil / Via Outras Palavras

O Brasil está secando: esta é a conclusão obtida pela análise de imagens de satélite de todo o território nacional entre 1985 e 2020 feita pela equipe do MapBiomas. Os dados, que ficam disponíveis a todos os interessados a partir desta segunda (23/08) no site do MapBiomas, indicam uma clara tendência de perda de superfície de água em 8 das 12 regiões hidrográficas, em todos os biomas do País.A superfície coberta por água do Brasil em 2020 era de 16,6 milhões de hectares, uma área equivalente ao estado do Acre ou quase 4 vezes o estado do Rio de Janeiro. Desde 1991, quando chegou a 19,7 milhões de hectares, houve uma redução de 15,7% da superfície de água no país. A perda de 3,1 milhões de hectares em 30 anos equivale a mais de uma vez e meia a superfície de água de toda região nordeste em 2020.

Continue Lendo

TEMPO: UM TEMPO PRECIOSO

Cinco aulas de Sêneca para aproveitar ao máximo seu tempo

“Quando chegarem ao fim, vão entender que estavam muito ocupados sem fazer nada ”, advertiu Sêneca séculos atrás. O filósofo estoico deixou claro que o tempo é o bem mais valioso que possuímos, mas ainda assim o desperdiçamos sem pensar nele.

Apesar do peso da mortalidade continuamente pairando sobre nossas cabeças, muitas vezes vivemos como se fôssemos imortais. Preferimos não pensar no fim para exorcizar nossos medos mais atávicos. No entanto, se quisermos aproveitar o tempo e fazer algo significativo em nossa vida, devemos ter em mente a frase latina que nos lembra de nossa mortalidade: memento mori .

Dicas para aproveitar o tempo, segundo Sêneca

Continue Lendo

NORDESTE E MULHERES SÃO DESTAQUE EM CAMPANHA HISTÓRICA NOS JOGOS OLÍMPICOS.

Quatro das sete medalhas de ouro vieram da região, sendo três da Bahia. Mulheres foram
responsáveis por nove dos 21 pódios, número que a delegação olímpica brasileira jamais alcançou

Da Rede Brasil Atual

Tóquio – Pela primeira vez na história dos Jogos Olímpicos, a delegação brasileira conseguiu subir ao pódio mais de vinte vezes em uma única edição. Foram 21 no evento realizado em Tóquio e encerrado no domingo (8). São sete ouros, igualando recorde da Rio-2016, seis pratas e oito bronzes, que colocaram o país no inédito 12º lugar no quadro geral de medalhas. As mulheres e os atletas do Nordeste foram destaque tanto na frieza dos números, quando na subjetividade que o esporte permite explorar. E ano olímpico ainda não acabou. No dia 24 de setembro as competições voltam na capital japonesa para os 13 dias da Paralimpíadas.

Continue Lendo

À VIDA HOJE, SÓ POSSO DIZER: OBRIGADO…

Reprodução Google Imagem

Por Sara Espejo

Hoje não vamos nos dedicar a pedir, não vamos nos referir às nossas angustias, nossos pesares, rupturas, separações ou qualquer tristeza, vamos simplesmente refletir sobre tantas coisas maravilhosas pelas quais devemos agradecer à vida, pelo cantar de um pássaro, pela chuva que refresca, pelo amor de uma criança, pela tranquilidade do silêncio, pelo sol infinito, por quem chega e quem sai … obrigado …

Continue Lendo

FILME: SOMOS TODOS IGUAIS

Imagem: Reprodução

A história real do casal Ron (Kinnear) e Deborah Hall (Zellweger). Ela é uma mulher muito religiosa e valente que está batalhando contra um grave câncer. Por persistência da esposa, Ron, um renomado negociante internacional de arte, se aproxima de Denver (Hounsou), um perigoso sem-teto com um passado de sofrimento e exploração. Independente de seu estado de saúde, Deborah estava motivada a fazer o marido participar de um programa social para ajudar o homem humilde a ter novas perspectivas na vida.

Um grande filme baseado em uma grande história real que emociona e que nos faz pensar no que realmente importa na vida. Um filme muito bonito que merece ser divulgado.(Adoro Cinema)

Continue Lendo