A FELICIDADE DOS ANTIGOS E A INFELICIDADE DO HOMEM MODERNO

Ao contrário dos antigos, o homem moderno perdeu sua harmonia com a natureza, perdeu
a capacidade de ordenar sua vida pela razão

Por Michel Aires de Souza Dias[1] / Jornal GGN

Os antigos gregos pensaram sua existência e ordenavam sua vida a partir da ideia de Cosmo, palavra grega que significa  ordem.  O mundo era compreendido como um todo universal ordenado, possuindo uma racionalidade intrínseca à sua própria natureza. O problema ético de como devemos viver a vida era determinada por essa noção.  O conhecimento visava um aprimoramento da vida interior e deveria determinar as normas universais da própria existência. Cabia a cada qual, através da razão,  buscar as normas universais que deviriam guiar sua própria existência, propiciando o conhecimento de como enfrentar as adversidades da vida,  de como se viver melhor e de como atingir a serenidade interior. A vida dos antigos tinha uma finalidade (telos), deveria ser guiada pela ideia de natureza.

Continue Lendo

QUANDO TIVER UM CONFLITO, NÃO DÊ AO EGO PARA RESOLVÊ-LO, DÊ À ALMA

Postado por Blog do Valentin

Por Sara Espejo – adaptado do site Rincón del Tibet/ Pensar Contemporâneo.

Não tomemos como ponto de partida o fato de que, em geral, todos os nossos conflitos são gerados precisamente pelo ego, com a dificuldade de aceitar tudo o que acontece conosco e de colocar a resistência entre ele e nós, sem nos dar a oportunidade de fluir com os nossos processos.

Vamos supor que o ego não tenha muito a ver com a geração do nosso problema e, a partir daí, avaliamos as diferenças entre abordá-lo da alma ou do ego.

Ao abordar qualquer problema com ego, encontraremos o seguinte:

Continue Lendo

GOSTO DE PESSOAS QUE, SEM PEDIR PERMISSÃO, TOCAM MINHA ALMA

Postado por Blog do Valentin

As pessoas que eu admiro mal cabem nos dedos de uma mão. São elas a quem  observo e escuto em silêncio. As pessoas que eu admiro, ainda que não se deem conta, fazem de mim uma pessoa melhor, tornam o meu mundo um lugar melhor. As pessoas que eu admiro são apenas humanas, cometem falhas como todo mundo, mas possuem um dom muito especial, que é o de saber tocar a minha alma.

Existem milhares dessas pessoas no mundo, talvez você seja uma delas,
talvez seja você essa referência a outros, não por ser perfeito, mas por saber
oferecer o refúgio, a proteção, a compreensão que o outro procura. Esse tipo de pessoa sabe o valor de cada ação, são especialistas em agasalhar almas e sabem perfeitamente quando é a vez das palavras e o quanto o silêncio pode ser curador.

Continue Lendo

SOB O CÉU DE PARIS…Édith Piaf (é permitido se emocionar)

 

Por Valentin Ferreira

A música como outras formas de manifestação da arte encontrou nesta canção e sua letra a exaltação da sensibilidade humana que muitas vezes se perde sob tantas coisas fúteis.

Ouvir e saborear a poesia de sua letra é mais que um enlevo. É poder voltar-se para dentro da alma e deixar explodir toda sua beleza que insistimos  em não mostrar. Por quê?

Nestes tempos sombrios* com seus homens e mulheres a buscar desesperadamente respostas para perguntas que sequer conseguimos fazer, deixar-se envolver pela poesia e sensibilidade de musicas como esta, é dar oportunidade para o transcendental, que  suavemente, faz nossos olhos voltarem-se  aos céus.

Se algumas lágrimas, desesperadamente, querer inundar seus olhos, não se sinta fraco, inútil. É o humano lutando pelo espaço perdido. É a fragilidade do nosso SER  abrindo espaço para o infinito poder falar. Dê oportunidade ao silencio. A sabedoria brotará  do chão sem piso, agora  umedecido pela força dos pingos que carregam o mistério de por vezes ser manifestação de tristeza, mas em outras, explosão da alegria.

Continue Lendo

O NASCIMENTO DA ALMA

Postado por Valentin Ferreira

A beleza deste vídeo (abaixo)  está no momento em que os garotos decidem: “isso eu não faço“. Hannah Arendt nos disse que a “alma” só nasce no individuo quando ele toma decisões dessa natureza. São decisões solitárias contra ordens e tradições onde nos negamos a fazer algo que parece muito errado, apesar do apelo do grupo. Seria o segundo nascimento do homem. Alias, é exatamente o que afirma um dos garotos: “é porque sou um homem“.

VEJA O VÍDEO

Continue Lendo