MEMÓRIAS DE FREDERICK DOUGLASS RETRATAM O HORROR DA ESCRAVIDÃO NOS EUA

Frederick Douglass – Imagem Reprodução

Best-seller “Autobiografia de Um Escravo” revela papel da leitura na formação do líder abolicionista

Por Fernanda Mena

“Educação e escravidão são incompatíveis”, escreveu o líder abolicionista Frederick Douglass em seu mais célebre livro, “Autobiografia de um Escravo”. Lançada cerca de 20 anos antes da abolição da escravatura nos EUA, ocorrida em 1863, a obra se tornou um best-seller e influenciou sentimentos anti-escravagistas por todo o país.

Dono de uma oratória potente, Douglass se tornaria figura central do abolicionismo americano a partir de textos e discursos mobilizadores, nos quais mais tarde incluiria as causas sufragistas. Seus ouvintes, contaminados pela narrativa racista em voga, mal podiam acreditar que um ex-escravizado fosse capaz de tamanha eloquência.

Continue Lendo