COMO O HUMOR INFLUENCIA A SAÚDE?

Quando estamos de bom humor, nos sentimos mais enérgicos, vivos e saudáveis. Por outro lado, quando estamos emocionalmente mal, também sentimos que algo está errado em nosso corpo. Por que isso acontece?

Passamos décadas imaginando se as doenças podem estar relacionadas às nossas emoções e sentimentos. No entanto, isso se tornou evidente recentemente, quando os pesquisadores dedicaram parte dos seus estudos para analisar como o humor influencia a saúde.

Sabe-se que a dor depende, em certa medida, da nossa percepção, bem como do nosso humor. Também existem doenças que, embora tenham uma base biológica, não são totalmente explicadas por esse meio. Por isso, muitos profissionais apontam para uma possível origem psicológica.

Continue Lendo

O BEM-ESTAR DO SILÊNCIO E DA SOLIDÃO

Postado por Valentin Ferreira

Acostumados ao barulho e à agitação, não suspeitamos do bem-estar do silêncio e da solidão.

Por José Antonio Pagola*

Nossas vilas e cidades hoje oferecem um clima pouco propício para aqueles que querem procurar um pouco de silêncio e paz para encontrar-se consigo mesmo e com Deus. Não é fácil libertar-nos do barulho permanente e do assédio constante de todo o tipo de chamadas e mensagens. Por outro lado, as preocupações, os problemas e as pressas de cada dia nos levam de um lado para outro, sem nos permitirmos ser donos de nós mesmos.

Nem sequer no nosso próprio lar, invadido pela televisão e cenário de múltiplas tensões, é fácil encontrar o sossego e o recolhimento indispensáveis para nos encontrarmos conosco mesmo ou para descansarmos alegremente diante de Deus.

Continue Lendo

RIR É O MELHOR REMÉDIO. O SORRISO RELAXA O CORPO E A MENTE

Postado por Valentin FerreiraPor que em quase todas as imagens que o representam, Gautama Buda aparece sempre sorrindo? O sorriso é indicativo de felicidade. Mas nem todos sabem que o ato de rir (manter um ar agradável, alegre, sorrir, mostrar afabilidade, achar graça, desfrutar) é postura que induz a cura natural de um enorme número de doenças.

A risada relaxa o corpo e a mente. Quando uma pessoa ri, o organismo libera endorfina, hormônio que promove uma sensação de bem-estar geral. Diversas pesquisas no mundo chegaram a conclusões que o riso emagrece, favorece a autoestima, diminui a dor, favorece a circulação sanguínea e reduz o estresse. A pessoa que não sorri não sinaliza bem que deseja uma proximidade, que está disponível para conversar, se relacionar.

Nos dias que correm, em meio as agruras cada vez mais intensas da vida moderna, é preciso sensibilizar as pessoas para o poder do sorriso, e preveni-las contra as agruras provocadas pelo negativismo e pelo mau humor constante. Nesse sentido, para começar, vale a pena refletir um pouco sobre a anatomia do sorriso e o seu efeito no nosso corpo, saúde, bem-estar e até longevidade.

Continue Lendo

EPÍTETO, UM SÁBIO DA ANTIGUIDADE

Postado por Valentin Ferreira

“Não são as coisas que nos acontecem que nos fazem sofrer, mas o que dizemos a nós mesmos sobre essas coisas.”

Com esta frase simples, mas precisa Epictetus da Frígia, um filósofo estóico do primeiro século dC, semeava as raízes da psicologia contemporânea. Epiceto nasceu no ano 55 em Hierápolis de Frígia e chegou a Roma como escravo de Epafrodito que lhe daria educação até seu exílio em Nicópolis no ano 93 onde fundaria uma prestigiosa escola à qual se dedicaria plenamente.

Apesar de ser escravo e receber espancamentos durante a maior parte de sua vida, Epíteto era uma pessoa feliz. Sua filosofia baseava-se em ter muito claro o que era controlável e o que não era, a fim de modificar o que era suscetível a modificações e aceitar o que não era. Desta forma ele evitou-se tormento e infelicidade.

Continue Lendo

NÃO HÁ SALVAÇÃO INDIVIDUAL, Por Beatrice Papillon

Postado por Valentin FerreiraImagem “A Luta entre o Carnaval e a Quaresma” de Pieter Bruegel)

O que eu mais sinto saudade do governo Lula nem é o crescimento econômico, as conquistas sociais, a inclusão, o reconhecimento internacional, etc, o que eu sinto saudade é que, por causa dessas coisas, nós estávamos satisfeitos de sermos quem somos, orgulhosos do Brasil. Lembra? Era um sentimento engraçado de andar por aí cheios de moral!

É muito difícil ter amor por si e desprezo pelo lugar em que se vive, e vice versa. De alguma forma, a satisfação pessoal é diretamente proporcional ao bem estar comunitário. Até entre as pessoas mais individualistas, que não terão consciência disso. Se a cidade dorme bem, você também descansa melhor. Tem menos insônia ou ansiedade, e acorda satisfeito para outro dia.
Por isso é comum que mesmo as pessoas privilegiadas em ambientes de desigualdades, frequentemente não consigam se sentir completamente realizadas e satisfeitas. Daí, gastam fortunas em shoppings, viagens e terapias (clínicas ou alternativas) e entopem-se de antidepressivos. Basta ver o fenômeno migratório da classe média pra Portugal. Acredito que não se trata (ou não somente) de desprezo pelo povo brasileiro e vira-latismo diante da Europa, mas … Continue Lendo

POR QUE SÓ DAMOS VALOR PARA O QUE PERDEMOS, E NÃO PARA O QUE TEMOS?

Postado por Valentin Ferreira

Por Ricardo Kotscho / em Seu Blog

Acostumados com água na torneira e luz elétrica desde que nascemos, não nos conformamos em ficar um dia sem estas benfeitorias.

Quando as prateleiras cheias dos supermercados se esvaziaram de um dia para outro na greve dos caminhoneiros, muita gente entrou em pânico e começou a pedir intervenção militar.

Sem combustível para tirar os carros da garagem, motoristas se viram obrigados a usar transporte público, e só então descobriram como são privilegiados num país onde multidões vão e voltam do trabalho a pé por não ter dinheiro para a condução.

Um dia sem internet causa crise de abstinência em muita gente.

Criados nos trópicos, sofremos com o frio quando vamos trabalhar em países onde o sol passa meses sem dar a cara.

Habituados a trocar de emprego para ganhar mais quando a economia vai bem, perdemos o chão ao ficar desempregados de uma hora para outra.

Continue Lendo