ENSINE AS CRIANÇAS A PENSAR, NÃO O QUE PENSAR.

Um professor sufi tinha o hábito de contar uma parábola ao final de cada aula, mas os alunos nem sempre entendiam a mensagem dela.

– Professor – um de seus alunos disse desafiadoramente um dia – você sempre nos conta uma história, mas nunca explica seu significado mais profundo.

– Peço desculpas por ter realizado essas ações – o professor pediu desculpas – me permita reparar o meu erro, vou lhe oferecer meu delicioso pêssego.

– Obrigado professor.

Continue Lendo

PAIS TÊM DIREITO DE NÃO VACINAR OS FILHOS?

Vacinação infantil: 97% dos brasileiros acreditam na importância da  imunização - Revista Crescer | Saúde
Preocupa a notícia sobre as sucessivas quedas da cobertura vacinal

Por Helio Schwartsman

O raciocínio clássico de pais que reclamam o direito de não vacinar os filhos é o de que o Estado não pode passar por cima de suas crenças mais essenciais, que os definem como indivíduos. Não me comove. Convicções religiosas ou filosóficas são pessoais e intransferíveis. O fato de alguém ser religioso antivacinal ou ultrabicho-grilo não assegura que seu filho também o será. Até para garantir que a criança chegue à idade em que possa fazer sua escolha, é importante imunizá-la.

Continue Lendo

BRASIL TEM 6 ABORTOS POR DIA EM MENINAS DE 10 A 14 ANOS ESTUPRADAS

Por Matheus Magenta e Laís Alegretti / BBC e Folha

O aborto realizado legalmente em uma criança de 10 anos que foi estuprada no Espírito Santo virou campo de batalha no Brasil

Após autorização judicial, a menina foi levada a outro Estado no domingo (16/08) para interrupção da gravidez. Ela relatou que sofria abusos sexuais do tio desde os 6 anos e que não contava para os outros porque ele a ameaçava. O tio da criança está foragido.

Continue Lendo

MÃE, ESTAMOS EM UM DEMOCRACIA? Por Elika Takimoto

Postado por Blog do Valentin

Elika Takimoto / Em Seu Blog

Não acho legal ver fotos com crianças defendendo uma bandeira política. Penso que política e religião exigem maturidade para a escolha de qual corrente seguir.

Quando Yuki tinha 8 anos, perguntou o que estava acontecendo no Brasil. Na ocasião, víamos manifestação para tirar Dilma do poder.

Ao ver crianças dando entrevistas, ele se interessou. Criança pode ir à manifestação, mãe? Pronto, lá estava eu numa saia justa. Sou contra a doutrinação de crianças. Acho que cabe a mim como mãe ensinar meus filhos, sobretudo, a pensar.

Todos, porém, que me acompanham sabem que tenho a minha posição política muito bem definida, o que, ao meu ver, não me dá o direito de decidir qual será o lado que meu filho jogará dentro da política: esquerda ou direita.

Continue Lendo

ESTUDO MOSTRA COMO AJUDAR CRIANÇAS A DISTINGUIR NOTÍCIAS FALSAS

Postado por Valentin Ferreira

Como distinguir entre uma notícia falsa e uma verdadeira? A tarefa pode ser relativamente simples para um adulto, e ainda assim dependerá de fatores como escolaridade, nível de formação crítica e capacidade de interpretação. E se quem tiver que fazer essa distinção for uma criança? Com tantas ferramentas online disponíveis, a disseminação de conteúdos – verdadeiros ou falsos – acontece a uma velocidade impossível de ser medida e os jovens são tão impactados nesse sentido quanto os adultos.

Uma pesquisa realizada pela Common Sense Media, uma organização norte-americana sem fins lucrativos que se dedica a ajudar pais e educadores a ensinar às crianças o uso positivo dos meios digitais, apontou que os jovens acham importante o consumo de notícias, mas que nem sempre se veem representados nelas. O estudo News and America’s Kids: How Young People Perceive and Are Impacted by the News foi feito com 853 crianças entre 10 e 18 anos e indica que menos da metade dos entrevistados consegue distinguir entre uma notícia falsa e uma verdadeira.

Continue Lendo

DIA DAS MÃES: A ARTE DE CRIAR SEM COMPLEXOS

Postado por Valentin Ferreira

Por Nacho Meneses / El Pais

Quando a médica espanhola María Angustias Salmerón foi mãe pela primeira vez e ficou sozinha com a filha, de pouco lhe serviu sua ampla formação como pediatra. Ela se deu conta de que era invadida pelas mesmas dúvidas das outras mães e que muito do que havia lido não explicava coisas que tinha urgência de saber. Eram muitas as recomendações estranhas (inclusive por parte de alguns profissionais da saúde ou de pessoas que nem sequer tinham filhos) e ela descobriu a falsidade de muitos mitos que a impediam de desfrutar plenamente dessa nova pessoazinha que havia posto de pernas para o ar sua lista de prioridades. Daí surgiu o blog mimamayanoespediatra e, recentemente, o livro Criar Sin Complejos (Criar Sem Complexos, ainda sem edição em português), no qual foge de dogmas inabaláveis sobre como fazer as coisas, desmonta essas crenças e facilita encarar a criação do ponto de vista do bebê e de suas necessidades, “sem posicionamentos, sem culpabilidades e tratando de todos esses temas que muitas vezes ninguém explica”.

Continue Lendo