AQUI JAZ A LAVA JATO, Por Guilherme Boulos

Imagem: Reprodução

Nem Dallagnol, com seu power point, nem Moro, compareceram ao funeral

Sem choro nem vela. O encerramento silencioso da força-tarefa de Curitiba, na semana passada, marcou um final melancólico para a Lava Jato. Nem Dallagnol com seu power point nem Sergio Moro sob os holofotes: ninguém compareceu ao funeral.

A história, sempre irônica, pregou mais uma de suas peças. Coube a Bolsonaro, que se elegeu graças à Lava Jato, selar o fim da operação. Com seu cinismo habitual, disse que resolveu acabar com ela porque “não tem mais corrupção no governo”.

Continue Lendo

MORO E DALLAGNOL, CÔNSULES DOS EUA

Por Jeferson Miola em seu blog

Nossa influência aqui é muito maior do que nossas pegadas

Liliana Ayalde, Embaixadora dos EUA no Paraguai e depois no Brasil, em telegrama ao Departamento de Estado [2009] vazado pelo wikileaks.

As provas documentais dos laços da Operação Lava Jato com o FBI trazidas a público pelo Intercept e Agência Pública [1/7] corroboram as suspeitas que veículos da imprensa independente aventavam pelo menos desde o final de 2014/início de 2015.

À época, Carta Maior, GGN, Brasil247, DCM, Viomundo e outras publicações lançavam suspeitas acerca da atuação de agências e órgãos do governo dos EUA por trás dos propósitos que moviam a Lava Jato e os movimentos de extrema-direita surgidos em 2013.

Continue Lendo

COMO CHEGAMOS A ESSE PONTO? VIRAM NO QUE DEU? NÃO DAVA PARA PREVER?

Postado por Blog do Valentin

REESCREVENDO A HISTÓRIA

Por  Marcelo Rubens Paiva/  Via Era da Idiocracia

Como chegamos a esse ponto? Viram no que deu? Não dava para prever? Política é complexa. Mas a história ajuda a descobrir decisões erradas, traições, expor a ingenuidade dos sujeitos que a fazem.
Numa fria segunda-feira, 20 de fevereiro em 1933, em Berlim, carros estacionaram diante do palácio da chancelaria. Deles descem Gustav Krupp, Wilhelm von Opel, Albert Vögler, Wolfgang Reuter, doutor Stein e outros.
Vestiam casacos pesados, chapéus, e mergulharam pelas escadas e corredores da presidência do Reichstag que seria, em meses, incendiado pelos nazistas, num episódio infame em que culparam os comunistas, justificaram o fechamento do congresso e a instauração da ditadura.
Continue Lendo

DALLAGNOLL, O “PILANTROPO”

Postado por Blog do Valentin

Por Valentin Ferreira

Antes ele, o Procurador Dallagnoll, dizia que parte do valor de suas palestras destinava-se  às entidades filantrópicas. Agora, com novas revelações do Intercpet/Folha, diz ter feito uma “reserva” de R$ 184 mil,  – caixa 2? – para supostas “futuras ações contra a corrupção”.

Pegando carona com Fernando Brito em seu Tijolaço, reproduzo abaixo, “Dallagnoll e a máscara da filantropia”

Só nos contratos que aparecem em mensagens do Telegram – reveladas pelo The Intercept e publicadas pela Folha – Deltan Dallagnoll, coordenador da Lava Jato, faturou R$ 580 mil não destinados, como ele sempre alegou, a entidades filantrópicas. Certamente há outros, que não foram transmitidos em mensagens ou, talvez, sequer registrados em recibos.

Continue Lendo

OS TRÊS PATÉTICOS

Postado por Blog do Valentin

GREENWALD É CRUEL COM AS TARAS BOLSONARISTAS

Por Moisés  Mendes / do Blog Era da Idiocracia

O jornalista Glenn Greenwald cometeu a maior crueldade com os militantes da extrema direita nas redes sociais. Ao dizer que o Intercept não irá divulgar mensagens que contenham intimidades do pessoal da Lava-Jato, Greenwald cortou o barato do bolsonarismo.
O jornalista deixou claro que não fará com Moro, Dallagnol e suas turmas o que Moro fez com Lula, ao grampear e enviar para a Globo diálogos sem nenhuma conotação política. Essa decisão do Intercept foi anunciada desde o começo, mas a extrema direita ainda tinha esperança.
Os bolsonaristas querem mensagens que acionem suas taras. Os textos falsos que estariam circulando pela internet, com informações sobre intimidades de lava-jatistas, mexeram com as fantasias dos adoradores de Bolsonaro.
Continue Lendo