EM EDITORIAL, ESTADÃO ROMPE COM MORO PARA TENTAR SALVAR TEMER

Por Brasil 247

“As delações se tornaram instrumentos eminentemente políticos. Na patética articulação em curso para encontrar um ‘substituto’ para Temer caso o presidente caia, a primeira qualificação exigida é que o nome do candidato não tenha sido sussurrado por nenhum delator. Só então será considerada sua capacidade de governar o País.

Essa é a prova de que a agenda nacional, em meio a uma das mais graves crises da história, foi definitivamente contaminada pelo pressuposto de que o Brasil só será salvo se a classe política for desbaratada, como se fosse uma quadrilha. Isso não costuma dar boa coisa”, diz editorial do jornal Estado de S. Paulo desta quinta-feira, que ataca a Lava Jato para tentar salvar Michel Temer

Continue Lendo