MINERAÇÃO ILEGAL E O DESMATAMENTO DA AMAZÔNIA

Imagem: Reprodução Google

Por IHU/Unisinos: Desmatamento pela mineração ilegal na Amazônia aumenta em 90% no período de 2017 a 2020

Crescimento causado por atividade clandestina foi observado entre os anos de 2017 e 2020 e, segundo Juliana Siqueira, impacta riosvida subaquática e também a saúde das populações ribeirinha e indígena.

A reportagem é publicada por Jornal da USP no Ar 1ª edição / Rádio USP e reproduzida por EcoDebate, 09-07-2021.

Um estudo desenvolvido por pesquisadores da Escola Politécnica da USP concluiu que houve um crescimento de mais de 90% no desmatamento em áreas de mineração ilegal no período de 2017 a 2020, passando de 52 km² para 101 km² de áreas desmatadas. A tendência de crescimento não foi observada na mesma proporção nos projetos de mineração oficialmente autorizados.

Continue Lendo

94% DO DESMATAMENTO DA AMAZÔNIA BRASILEIRA É ILEGAL, DIZ ESTUDO.

Nos 12 meses anteriores a agosto de 2020, o desmatamento na Amazônia brasileira
aumentou 9,5%, destruindo um território maior que o da Jamaica, segundo dados oficiais

Por Dom Total

Quase todo o desmatamento registrado na Amazônia brasileira é ilegal, e a promessa do presidente Jair Bolsonaro de eliminá-lo é pouco realista, devido à falta de transparência envolvendo o uso autorizado da terra naquela região, aponta um relatório divulgado nesta segunda-feira.

Sob pressão para reduzir a destruição da maior floresta tropical do planeta, Bolsonaro prometeu no mês passado, durante a Reuniao de Cúpula sobre o Clima, eliminar o desmatamento ilegal até 2030, uma missão que parece impossível, uma vez que autoridades fracassaram em implementar leis para determinar quando e onde se desmata legalmente, assinala um estudo inédito desenvolvido por pesquisadores brasileiros do Instituto Centro de Vida (ICV), do Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com apoio do WWF-Brasil.

Continue Lendo

CONTAGEM REGRESSIVA PARA O FIM DA AMAZÔNIA

Amazoniza-te’, uma campanha dos povos indígenas em defesa da mata

Por André Martins*

O agronegócio e o garimpo são hoje os dois maiores inimigos da Amazônia, sendo os principais responsáveis pelo desmatamento da floresta. O primeiro é responsável pela perda de 90% da vegetação natural do Brasil e o segundo tem criado uma indústria que além de desmatar, trazendo doenças para os povos indígenas, planeja, com a ajuda do governo, explorar mais de 200 mil hectares de reservas naturais e indígenas em busca de minério.

Todas essas questões foram levantadas e debatidas em evento realizado pelo Instituto Humanitas Unisinos – IHU, o qual contou com a participação do padre Dario Bossi e da profa. dra. Nurit Bensusan, que ministraram a palestra intitulada “Amazônia. A devastação da floresta pelo agronegócio e a mineração”.

Continue Lendo

“GRILEIRO NÃO FAZ HOME OFFICE”. DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA CRESCE 63,7% EM ABRIL

Desmatamento na Amazônia. Foto: Arquivo/Agência Brasil

Por Lu Sodré

Os alertas de desmatamento na floresta amazônica, monitorados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), cresceram 63,75% em abril, se comparado ao mesmo mês de 2019. Segundo o sistema Deter, foram emitidos alertas para 405,6 km² este ano, enquanto no ano passado, no mesmo período, foram 247,7 km².

Continue Lendo