EDINHO SILVA, PREFEITO DE ARARAQUARA, DIZ QUE A TERCEIRA ONDA “VIRÁ E SERÁ VIOLENTA” E BAIXA NOVO DECRETO PARA FREAR A DOENÇA

O prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT-SP), baixou um decreto na quinta-feira (20) determinando que as atividades econômicas da cidade voltarão a fechar caso a taxa de positividade de exames para detectar a Covid-19 chegue a 30%, entre sintomáticos, por três dias seguidos ou por cinco dias alternados. Ou que alcance 20% dos testes gerais feitos no município.

Continue Lendo

MINHA MÃE FOI VACINADA. PODEMOS PASSAR O DIA DAS MÃES JUNTOS?

Getty Imagens

Do UOL

O segundo Dia das Mães durante a pandemia de coronavírus chega junto com a vacina para muitas famílias. Mas, mesmo com a imunização, os médicos alertam que é necessário tomar cuidado —manter as máscaras, o distanciamento social e evitar aglomerações.

Os especialistas afirmam que as vacinas não garantem 100% de proteção e mesmo as mães vacinadas devem tomar cuidado. Eles dizem que uma nova onda de contaminação pode acontecer independente da data, mas que precauções são sempre recomendáveis —para se evitar um novo colapso no sistema de saúde, como houve após as festas de fim de ano, por exemplo, em diversos estados.

Continue Lendo

ALEXANDRE GARCIA: EXEMPLO DE IRRESPONSABILIDADE PARA A DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

Foto: YouTube/Reprodução

Por: Alexandre Freita Campos/ Observatório da Imprensa

Muito já se falou sobre o papel do jornalismo científico e dos jornalistas para a difusão de informação precisa e de qualidade, principalmente desde o ano passado, quando o enfrentamento à pandemia reforçou a discussão sobre a importância da divulgação científica. Dependendo da gravidade da situação, informações equivocadas ou mentirosas podem até matar, e, lamentavelmente, alguns profissionais do jornalismo parecem não se dar conta da responsabilidade que possuem e, em vez de combaterem as notícias falsas, são eles próprios quem as disseminam.

Mas será que agem assim somente por desconhecimento? O vídeo publicado pelo jornalista Alexandre Garcia em dezembro do ano passado já vale como um bom case do que não se deve fazer em se tratando de divulgação científica [1]. Um case de irresponsabilidade, um mau exemplo, não só pelo conteúdo do vídeo, mas pelo contexto.

Continue Lendo

BRASIL TEM MAIS MORTES POR COVID EM 1 SEMANA DO QUE 63 PAÍSES JUNTOS NA PANDEMIA INTEIRA

Japão não adotou quarentena obrigatória, mas quase todo mundo usa máscaras e adota distanciamento social

Por BBC Brasil

Com 212 milhões de habitantes, o Brasil registrou mais mortes por covid-19 no espaço de uma semana do que outros 63 países juntos ao longo da pandemia inteira — esse grupo de nações soma 634 milhões de habitantes.

Entre 14 e 20 de dezembro, 5.233 pessoas morreram no Brasil em decorrência da doença. Foi o número mais alto desde setembro, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde.

Esse total é superior à soma de mortes registradas desde janeiro em 63 países juntos, entre eles Tailândia, Islândia, Vietnã, Uruguai, Taiwan, Cuba, Botswana, Gabão, Nova Zelândia, Cingapura e Estônia.

O mais populoso deles, o Vietnã, tem 97 milhões de habitantes e 35 mortes por covid-19 em 2020. O Brasil tem 212 milhões de habitantes e 189 mil mortes pela doença em 2020.

Continue Lendo

SABOTAGEM DE BOLSONARO À VACINA ATRAPALHA TAMBÉM A RETOMADA DA ECONOMIA

Jair Bolsonaro posa para fotos ao lado do personagem Zé Gotinha durante lançamento da plano nacional de vacinação contra a Covid-19 – Pedro Ladeira/Folhapress

Por Bruno Boghossian

Fica claro que o presidente não liga nem para a recuperação das atividades nem para a saúde da população

Dias depois de chamar a Covid-19 de gripezinha, em março, Jair Bolsonaro usou um argumento econômico para justificar sua indiferença diante da pandemia. “Não é apenas a questão de vida. É a questão da economia também”, declarou.

Bolsonaro fez uma escolha e defendeu por meses o retorno forçado a uma normalidade impossível. Agora, quando a chegada da vacinação abre o primeiro caminho para a redução do distanciamento e para uma retomada segura, a sabotagem presidencial permanece na equação.

As sirenes tocam alto na área econômica. O presidente do Banco Central declarou nos últimos dias que um atraso na vacinação “obviamente vai ter impacto na atividade”.

Continue Lendo