A NOVA TOMADA DE TRÊS PINOS, por Bernardo Mello Franco

Postado por Valentin Ferreira / da Folha SP
Pedro Ladeira/Folhapress
Deputados Lúcio Vieira e Vicente Cândido (relator) na comissão especial da reforma da política, que será votada no plenário da Câmara
Deputados Lúcio Vieira Lima e Vicente Cândido, presidente e relator da comissão da reforma política

Por Bernardo Mello Franco / Folha SP.

BRASÍLIA – Os feirantes da reforma política querem vender uma nova jabuticaba. Para driblar as críticas ao distritão, um sistema eleitoral adotado em apenas quatro países, decidiram apostar num modelo que não existe em país nenhum.

A gambiarra está sendo chamada de semidistritão, ou distritão misto. Foi inventada há poucos dias e pode ser aprovada nesta terça-feira. A ideia ganhou força na Câmara, embora poucos deputados sejam capazes de explicar do que se trata.

Continue Lendo

A TRINCA DO “DISTRITÃO”

Postado por Valentin Ferreira / da Carta CapitalEduardo Cunha

O formulador que acabou na cadeia

por Mauricio Dias — 
Michel Temer, Rodrigo Maia vulgo “Botafogo” e Eduardo Cunha são os inventores de mais uma exceção que hoje figura ainda nas pretensões golpistas

Parlamento brasileiro, soma da Câmara e do Senado, tem o vício de alterar constantemente o processo político-eleitoral. Parece um caso de sedução ou de malandragem incontrolável. Ao longo das duas últimas décadas foram feitas 14 modificações. Mas não parou por aí e, agora, pode chegar a 15.

A comissão especial na Câmara, que trata das reformas, aprovou rapidamente nos últimos dias o texto-base que, se aprovado, vai alterar expressivamente, para candidatos e eleitores, os procedimentos da situação existente.

Continue Lendo

REFORMA POLÍTICA: MUDANÇAS PRIVILEGIAM INTERESSES MENORES, DIZEM ESPECIALISTAS

postado por Valentin Ferreira / do Jornal do Brasil

O relatório está sob discussão na comissão. Se aprovado, a proposta segue para plenário“O intuito não é modernizar o sistema, mas encontrar um que beneficia a classe política”

Jornal do BrasilRebeca Letieri

Passada a denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB), os parlamentares correm contra o tempo para aprovar uma reestruturação do sistema eleitoral até o início de outubro, para que as novas regras possam valer nas eleições de 2018. As ideias principais em debate são a aprovação do ‘distritão’ – sistema em que serão eleitos os deputados federais mais votados em cada estado -, e do fundo de financiamento público de campanha, substituindo as doações empresariais. Contudo, especialistas analisam que as mudanças, na verdade, privilegiam interesses políticos.

Continue Lendo