CENTRO ACADÊMICO MAIS ANTIGO DO BRASIL ELEGE PRIMEIRA MULHER NEGRA

Postado por Blog do Valentin

“É a primeira vez que pessoas que realmente estão na periferia estão tomando o poder no XI de Agosto”, diz Letícia Chagas, estudante da tradicional Faculdade de Direito da USP.

Em 1903, quando o Brasil vivia a República Velha e as oligarquias de São Paulo e Minas Gerais se revezavam no comando do país, estudantes da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, na capital paulista, fundaram o primeiro centro acadêmico do país, o XI de Agosto. A São Francisco, como a faculdade é conhecida, incorporada à USP em 1934, já era um espaço de formação de parte da elite política e jurídica nacional e continuaria a desempenhar esse papel nas próximas décadas.

Continue Lendo

O SILÊNCIO DAS RUAS DO BRASIL, por Deutsche Welle

Postado por Valentin Ferreira / Do Deutsche Welle Protesto contra o impeachment de Dilma em maio de 2016: atual presidente tem sido preservado
Protesto contra o impeachment de Dilma em maio de 2016: atual presidente tem sido preservado

Impopular, suspeito de corrupção e à frente de controversas reformas, Michel Temer tem sido poupado de grandes manifestações. O que está por trás da atual passividade dos brasileiros?

Um presidente extremamente impopular que tenta aprovar reformas rejeitadas pela maioria da população; escândalos de corrupção envolvendo diretamente o próprio ocupante do Planalto; economia que dá sinais apenas tímidos de recuperação; apoio parlamentar sendo largamente negociado com verbas e loteamento de cargos; pesquisas que apontam que a maioria da população deseja eleições diretas.

Diante de cenários com bem menos elementos, os ex-presidentes Fernando Collor e Dilma Rousseff tiveram que enfrentar multidões que foram às ruas do Brasil para pedir suas cabeças.

Continue Lendo

COMO A VOLKS COOPERAOU COM A DITADURA BRASILEIRA

Postado por Valentin Ferreira / do Deutsche Welle Brasil

Fábrica da Volkswagen em 1953 em São PauloFábrica da Volkswagen em 1953 em São Paulo

Imprensa alemã obtém acesso exclusivo à investigação sobre o envolvimento da montadora com o regime: cooperação era maior do que se pensava e teria tido o conhecimento da chefia da companhia em Wolfsburg.

Uma força-tarefa investigativa formada pelo jornal Süddeutsche Zeitung e as emissoras estatais NDR e SWR obteve acesso exclusivo à investigação externa, ordenada pela própria Volkswagen, sobre o papel de sua filial brasileira na ditadura militar (1964-1985).

Segundo reportagens publicadas no domingo (23/07), a filial brasileira da montadora colaborou de forma mais ativa do que antes se imaginava com os militares na perseguição de opositores do regime.

Continue Lendo

MUJICA: ” PODEREMOS FAZER ALGO CONTRA A CORRU0ÇÃO?”

por: DW Brasil

Para Mujica, a corrupção é um fenômeno do capitalismo. “Teríamos que nos dedicar a pensar que, tacitamente, esta etapa da civilização pela qual atravessamos vive de fato, não com palavras, não com mensagens explícitas, mas com uma linguagem tácita que anda por todas as partes, sem redator responsável, que triunfar na vida é acumular dinheiro, e que quem não acumula dinheiro tem de fato negado o caminho da felicidade.”

 

 

Continue Lendo

SOLIDÃO EM TEMOS MODERNOS

Por:  Meire Brito / DW Brasil
Pular de encontro para encontro com ajuda de um app, optar pela vida “single”, casar consigo mesmo. A solidão faz parte da vida moderna e, se for passageira, pode até fazer bem. O problema começa quando ela vira rotina.

Aplicativo TinderAplicativos de namoro como o Tinder são cada vez mais populares

Verena* está se arrumando para mais um encontro. Após 19 primeiros encontros, ela parte para o 20º candidato. A advogada, que vive em São Paulo, tem 34 anos e está solteira há seis. Ela marcou o encontro num parque da cidade e saiu do escritório a tempo de ver o pôr do sol com seu match.

Sim, ela o conheceu num aplicativo de namoro. Sugeriu o parque porque os outros 19 encontros aconteceram em barzinhos ou em restaurantes. Queria algo diferente. “Quem sabe ajuda?”, pensou.

Continue Lendo

AS RAÍZES DA CORRUPÇÃO NO BRASIL

Por DW Brasil

Quadro retrata a chegada de Pedro Álvares Cabral no BrasilQuadro retrata a chegada de Pedro Álvares Cabral no Brasil

Como o modelo de colonização lançou as bases para a difusão da corrupção, que seguiu encontrando terreno fértil para se manter na esfera pública, alimentada pela falta de punição e pela manutenção de elites no poder.

A cordialidade da elite do município de Curuzu enganou Policarpo Quaresma. No início, o personagem central da obra de Lima Barreto chegou a pensar que a intimação assinada pelo simpático presidente da Câmara era apenas uma brincadeira. Mas o documento era uma vingança. Ao se recusar a entrar no jogo da corrupção local, Policarpo se tornou alvo de represálias.

No romance de 1911, a corrupção na esfera pública não surge como fenômeno novo, mas aparece como mal característico da sociedade, o qual a República não demonstra interesse em suprir. As represálias sofridas por Policarpo escancaram o uso do patrimônio público para interesses privados.

Continue Lendo