O PARADOXO DO POVO

Por Leandro Fortes

Foi o povo – não a mídia, nem os setores reacionários da burguesia nacional – que derrotou as candidaturas de esquerda que conseguiram, aos trancos e barrancos, chegar ao segundo turno das eleições municipais.

O povo, o povão, a plebe, as classes oprimidas das periferias dos grandes centros urbanos: Rio, São Paulo, Recife, Porto Alegre. Sem falar em praças menores, mas não menos importantes, como São Gonçalo, no Rio de Janeiro; e Feira de Santana e Vitória da Conquista, na Bahia.

Qualquer tentativa de romantizar essas derrotas como sementes de vitórias que virão cairá, inevitavelmente, naquele vão da História onde vivem o inútil e o ridículo.

A derrota é um aprendizado duro, a ser vivido em todo o seu amargor. A derrota exige vingança, não poesia.

Continue Lendo

ESQUERDA VENCE ELEIÇÕES EM MONTEVIDÉU

Carolina Cosse, prefeita eleita de Montevidéu – Pablo Porciuncula/AFP

A coalizão de esquerda Frente Ampla conquistou a prefeitura de Montevidéu nas eleições regionais realizadas no Uruguai neste domingo (27). A engenheira Carolina Cosse assumirá o cargo.

Projeções com base em pesquisas de boca de urna mostram que a Frente Ampla obteve entre 50% e 51% dos votos, frente a 40-41% da coalizão de centro-direita que chegou à Presidência do Uruguai em 1º de março, segundo os institutos Cifra e La Diaria Datos.

Continue Lendo

SORRIA: VOCÊ ESTÁ SENDO MANIPULADO

Passou da hora de elucidar o funcionamento deste esquema criminoso, capaz de vencer eleições e manipular a opinião pública

Por Guilherme Boulos /C.Capital

A origem das milícias digitais

A história começa com um magnata norte-americano chamado Robert Mercer, dono de um fundo de investimentos que utilizava algoritmos e modelos matemáticos para prever o futuro e fazer seus clientes ainda mais ricos. Ou melhor, começa com a associação de Mercer com outra figura das sombras, Steve Bannon, ex-executivo do Goldman Sachs que vociferava ideias fascistas nas redes sociais. Juntos, decidiram usar seus conhecimentos e fortunas para incidir politicamente. Nasceu daí uma empresa chamada Cambridge Analytica.

Continue Lendo

“O CAOS CRIADO PELA EXTREMA DIREITA É CALCULADO”

O cientista político Giuliano da Empoli fala ao ‘Nexo’ sobre os ‘engenheiros do caos’, que usam as redes para impulsionar a nova onda populista

Do Nexo Jornal

O cientista político franco-italiano Giuliano Da Empoli pesquisa a relação entre as redes sociais e a ascensão ininterrupta da extrema direita populista no mundo.

Para ele, esse movimento – que no Brasil é liderado pelo presidente Jair Bolsonaro – é fruto de uma mistura entre intuição e cálculo. A intuição é parte da habilidade política desses novos líderes. O cálculo é parte do trabalho do que o autor chama de “engenheiros do caos” – nome dado por ele aos especialistas em transformar algoritmos em votos.

O tema foi exposto por Da Empoli em seu livro mais recente, cujo título é auto-explicativo: “Os engenheiros do caos: Como as fake news, as teorias da conspiração e os algoritmos estão sendo utilizados para disseminar ódio, medo e influenciar eleições”, disponível em português, no Brasil, pela editora Vestígio.

Continue Lendo