DESNACIONALIZAÇÃO DA EMBRAER E BRASKEM CAUSA GRANDE MEDO NA INDÚSTRIA

Postado por Valentin Ferreira

Empresários que apoiaram o golpe contra Dilma em 2016 agora estão apavorados com o efeito devastador da desnacionalização da indústria brasileira causada tanto pelo governo Temer como pela terra arrasada da Lava Jato. Os 70 fornecedores da Embraer, que empregam cinco mil pessoas, preveem ir à falência em curto espaço de tempo. Ao mesmo tempo, a indústria de transformação do plástico está em polvorosa com a potencial venda da Braskem, principal fornecedora de insumos do setor, para a holandesa LyondellBasell (Mais informações qui).

Do Brasil 247

Continue Lendo

PERDEMOS PARA A BÉLGICA NO FUTEBOL. E O QUE ESTAMOS PERDENDO EM PATRIMÔNIO BRASILEIRO PARA OUTRAS “EQUIPES” ESTRANGEIRAS?

Postado por Valentin Ferreira

Perder no futebol faz parte. Perder patrimônio do país que implica em empregos de milhares ou milhões de pessoas é outra coisa. Enquanto a bola rolava nos campos da Russia, o desgoverno brasileiro aproveitou a desatenção do povo para entregar ao estrangeiro parte de nossas riquezas em energia elétrica, campos de petróleo etecnologia de ponta da indústria aeronáutica. E não deve parar por aí. Abaixo artigo  do Jornal GGN por Fábio de Oliveira Ribeiro, sob o título, Tristes tópicos de um futebol togado, focando o assunto.

A seleção brasileira perdeu para a Bélgica. Portanto, devemos ficar tristes e acreditar que o futebol é mais importante do que o petróleo, a Petrobras, a Eletrobras, a Embraer, etc… que foram entregue aos estrangeiros. O nacionalismo à direita se resume a camisa da CBF.
A Bélgica derrotou o Brasil. Logo, o povo vai começar a perceber que está sendo enganado, que as riquezas nacionais foram dilapidadas e que o preço do gás e da gasolina continua subindo. A conscientização política à esquerda se constrói como uma ilusão derivada das ilusões desfeitas.
Continue Lendo

ENTREGA DA EMBRAER À BOEING FOI ÓTIMO NEGÓCIO. PARA BOEING, CLARO.

Postado por Valentin FerreiraNão é nenhum jornal esquerdista ou nacionalista. É a Bloomberg, publicada por O Globo quem oferece a explicação, sob o título ” Saiba por que a Embraer é tão importante para a Boeing”:

“O acordo da Boeing com a Embraer é estratégico para a empresa americana não só porque amplia sua presença no exterior como também porque permite à empresa entrar no mercado de aeronaves de médio e pequeno porte. Além disso, reforça sua posição para competir com a europeia Airbus, num momento em que o duopólio das duas gigantes da aviação mundial começa a sofrer concorrência de rivais de Rússia, Japão e China. Além disso, ao acrescentar os jatos da família E da Embraer ao seu portfólio, a Boeing aumenta o arsenal para sua mais recente batalha com a Airbus: o mercado de aeronaves de 100 lugares.”

Continue Lendo

NA TERRA, MAR E AR, VENDER O BRASIL, E RÁPIDO, ANTES QUE ACABE!

Postado por Valentin Ferreira

Ontem à noite, o lixo majoritário na Câmara dos Deputados aprovou a venda de jazidas da Petrobras – nas áreas concedidas conhecidas como de “cessão onerosa”, por terem sido usadas na capitalização da estatal, em 2010 – no valor de cerca de R$ 100 bilhões, segundo estimativas dos jornais. Áreas “prontinhas”, sem risco, mapeadas sismicamente e com diversos poços exploratórios feitos com ciência, trabalho e dinheiro brasileiros, a garantir a quantidade e a qualidade do petróleo a ser extraído

Hoje de manhã, anunciou-se o que será a “nova” Embraer: 80% para a Boeing e um “tasquinho” de 20% para Embraer, além de uma sede no Brasil, para dar emprego a executivos e gerentes, enquanto a produção vai sendo espalhada pelo mundo, por onde melhor convier o preço e a capacidade da mão de obra. A “parceria” do elefante com a formiguinha, claro, vai se dar sobre os produtos concebidos e desenvolvidos aqui, como a bem sucedida linha de jatos médios E2,  a aviação executiva e o imenso potencial de mercado do transporte militar KC-390.

Continue Lendo

A VENDA DA EMBRAER COLOCA O BRASIL EM POSIÇÃO DE COLÔNIA

Postado por Valentin Ferreira
Por Clovis Nascimento* —Carta Capital
O negócio irá favorecer apenas os norte-americanos, que utilizarão o capital tecnológico para dar maior robustez ao seu próprio parque industrial

Foi anunciada pelo jornal The Wall Street Journal, a possível venda da Embraer para a norte-americana Boeing. A Embraer é a terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo e a única fabricante brasileira de aviões, perdendo para a própria Boeing. Isso significa que o interesse da Boeing nessa negociação é acabar com a concorrência da Embraer, colocando-se como líder no mercado, além de se apropriar de todo o acúmulo tecnológico e científico brasileiro.

Embora seja uma empresa privatizada, existe um mecanismo chamado “golden share”, que possibilita poder de veto ao governo federal em decisões estratégicas, como em negociações de vendas e fusões da empresa, mesmo sem ter o controle acionário. No dia 19 de julho de 2017, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, consultou, no entanto, o Tribunal de Contas da União sobre a possibilidade de abrir mão da “golden share” da Embraer, da Vale e do IRB.

Continue Lendo