TOMADA DE DECISÃO: COMO EQUILIBRAR RAZÃO E EMOÇÃO?

Postado por Blog do Valentin

Nossas decisões são regadas por razão e emoção. Ambas são extremamente importantes e precisam estar harmonizadas para tomar uma decisão.

É normal que durante nossa vida, nos deparemos com diversos momentos onde é necessário ter uma tomada de decisão. Você já parou para se perguntar como isso acontece?

O cérebro humano é dividido em duas partes: esquerdo – da razão – e direito – da emoção. Suas funções se relacionam ao intelecto, aos controles musculares, à regulação interna de variadas funções corporais e aos centros emocionais. Cada lado cumpre funções específicas e é por meio da interação entre eles que acontece a organização neurológica.

Continue Lendo

SOB O CÉU DE PARIS…Édith Piaf (é permitido se emocionar)

 

Por Valentin Ferreira

A música como outras formas de manifestação da arte encontrou nesta canção e sua letra a exaltação da sensibilidade humana que muitas vezes se perde sob tantas coisas fúteis.

Ouvir e saborear a poesia de sua letra é mais que um enlevo. É poder voltar-se para dentro da alma e deixar explodir toda sua beleza que insistimos  em não mostrar. Por quê?

Nestes tempos sombrios* com seus homens e mulheres a buscar desesperadamente respostas para perguntas que sequer conseguimos fazer, deixar-se envolver pela poesia e sensibilidade de musicas como esta, é dar oportunidade para o transcendental, que  suavemente, faz nossos olhos voltarem-se  aos céus.

Se algumas lágrimas, desesperadamente, querer inundar seus olhos, não se sinta fraco, inútil. É o humano lutando pelo espaço perdido. É a fragilidade do nosso SER  abrindo espaço para o infinito poder falar. Dê oportunidade ao silencio. A sabedoria brotará  do chão sem piso, agora  umedecido pela força dos pingos que carregam o mistério de por vezes ser manifestação de tristeza, mas em outras, explosão da alegria.

Continue Lendo

NÃO SE VENDER TAMBÉM TEM SEU PREÇO

Por Marcel Camargo

Não se vender também tem seu preço

Há um alto preço a ser pago pela autenticidade, por amar sem medo, por se dizer o que se pensa, por ser quem você é de fato, por viver as próprias verdades. Mas é somente assim que nos fortalecemos junto a quem nos ama pelo que somos.

Talvez seja parte da natureza humana a necessidade de obter controle sobre o mundo à nossa volta, sobre as pessoas com quem convivemos, numa vã tentativa de equilibrar o tanto de incertezas que nos rodeiam, uma vez que, na verdade, não conseguimos controlar muita coisa. E é assim que muitos de nós acabamos extrapolando os limites do outro, querendo que ele aja, pense e fale exatamente o que quisermos. E haverá um preço para tudo nesta vida, que jamais deixará de nos trazer a fatura das consequências.

Continue Lendo