OS ROBÔS ACABARÃO COM OS EMPREGOS?

Por Valentin Ferreira /Via Dom TotalA produtividade dos robôs tem crescido muito desde então.Uma ideia que se espalha como fogo nos últimos tempos é que dentro de poucos anos os robôs irão acabar com uma grande proporção de empregos.

“É certo que a automação e os robôs eliminarão muitas tarefas e postos de trabalhos. Mas só causarão quedas no número total de postos de trabalho se – e apenas se – não diminuir a jornada de trabalho, e também se forem mantidas as políticas econômicas atuais, orientadas para a produção artificial da escassez, pois dessa forma os salários são reduzidos e a taxa de lucro das grandes empresas e dos bancos, aumentada”, afirma Juan Torres López, economista espanhol, membro do Conselho Científico de Attac España y catedrático de Economia aplicada na Universidade de Sevilla.

Segundo ele, “o paradoxo está nas políticas atuais (que diminuem o poder de compra de cada vez mais grupos sociais) que são um dos principais freios da automação e da robótica generalizadas. A possibilidade técnica de usar muitos robôs não é uma temática economicamente decisiva, mas que haja pessoas com renda suficiente para adquirir o que for produzido. O futuro não está ameaçado por robôs, mas por 24,2% de jovens espanhóis de 20

Continue Lendo

AS PROFISSÕES MAIS BEM PAGAS DA ALEMANHA

Por Valentin Ferreiradefault
Por: Deutsche Welle
Como médicos e dentistas no topo do ranking, área de saúde lidera vencimentos entre profissionais com formação acadêmica, segundo consulta online com 60 mil pessoas. Logo em seguida vêm os juristas.

Médicos e dentistas são os profissionais com formação acadêmica que mais ganham na Alemanha, considerando os vencimentos brutos médios das profissões, afirmou o site de busca de empregos Stepstone com base numa consulta online.

Continue Lendo

BRASIL CRIOU 34.253 NOVAS VAGAS DE EMPREGO EM MAIO

Por Agencia Brasil/EBC

Resultado de imagem para imagens de carteira de trabalho

Em maio, o mercado brasileiro abriu 34.253 novos postos de trabalho, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados hoje (20) pelo Ministério do Trabalho. É o segundo mês consecutivo, e a terceira vez no ano, em que o país registra mais vagas abertas do que fechadas. Em abril, o país já havia criado 59.856 mil vagas de emprego formal.

No acumulado do ano, o Caged contabiliza 48.543 postos de trabalho a mais, após dois anos de saldo negativo para o período. De janeiro a maio de 2016, o Caged havia registrado fechamento de 448.011 vagas e, no mesmo período de 2015, 243.948 vagas foram suprimidas.

“Podemos constatar que a economia volta a dar sinais de recuperação, e um dos sintomas fundamentais para comprovação da recuperação econômica é a geração de emprego”, afirmou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, ao comentar o resultado.

Os setores que contribuíram com a criação de vagas formais em maio foram agropecuária (46.049 novos postos), serviços (1.989 vagas), indústria da transformação (1.433 vagas) e administração pública (955 novos postos de trabalho).

Os setores que fecharam vagas formais foram comércio (-11.254 postos), construção civil (-4.021), indústria extrativa mineral (-510 postos … Continue Lendo

EMPATIA, FLEXIBILIDADE, COOPERAÇÃO: PESQUISADOR DE HARVARD EXPLICA POR QUE AS HABILIDADES SOCIAIS GANHAM FORÇA NO MERCADO

Por:Paula Adamo Idoeta /

A automação “engole” empregos ao redor do mundo, mas ainda está distante de substituir trabalhadores que combinem diversas habilidades complementares entre si – em especial habilidades sociais, como a capacidade de escutar e de trabalhar eficientemente em equipe.

A explicação é do pesquisador David Deming, professor de Políticas Públicas, Educação e Economia na Universidade Harvard e autor de um estudo chamado A crescente importância de habilidades sociais no mercado de trabalho, publicado em maio.

Continue Lendo

PEQUENAS EMPRESAS CONTRATARAM 60% MAIS QUE GRANDES EM 2016

Por: Mariana Branco / Agência Brasil

Imagem relacionada

As micro e pequenas empresas admitiram 9 milhões de trabalhadores em 2016, 60% mais que os 5,7 milhões contratados pelas grandes e médias empresas no período. A informação é do levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Continue Lendo