JÁ ESTAMOS VENDO MIRAGENS

Imagem: Reprodução

Por Moisés Mendes/Em seu blog

O desespero nos conduz à tentação da busca por heróis que possam nos tirar do inferno do bolsonarismo. Mas até os heróis no Brasil hoje duram algumas horas e se evaporam antes de termos pelo menos uma amostra do que esperamos deles.

Foi bem ruim a sensação de que a aposta na médica Ludhmila Hajjar para a Saúde não deu certo porque ela teria se desiludido com Bolsonaro. Mas não era nada disso, não havia desilusão nenhuma. Não deu certo porque Bolsonaro a rejeitou.

Vai ficando cada vez mais claro que a médica cotada para o Ministério da Saúde se jogou nos braços de Bolsonaro. Que a reunião de domingo, quando ela foi sabatinada por Bolsonaro, por Eduardo e por Pazuello, não teria sido uma decepção para ela, mas para o genocida. Ludhmila nos empurrou para uma ressaca.

Continue Lendo

QUEM SÃO OS DEFENSORES DA CLOROQUINA E IVERMECTINA QUE FORAM VÍTIMAS DA COVID-19?

No dia 2 de outubro, cinco dias antes do primeiro turno, Luciano Hang publicou imagem
com funcionários da Havan e camiseta de Bolsonaro – Foto: Reprodução Twitter

Medicamentos não têm eficácia comprovada cientificamente contra o novo coronavírus

Do Brasil de Fato

Não há comprovação científica da eficácia do uso de cloroquina e hidroxicloroquina contra a covid-19, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e as instituições de saúde brasileiras. Ainda assim, há quem defenda o uso do medicamento, entre outros não comprovados, como ivermectina, para combater o vírus. Dessas, algumas morreram pela doença ou contraíram a covid-19 em sua forma grave. 

O caso mais recente é o do empresário Luciano Hang. Dono da rede de lojas Havan, Hang foi hospitalizado em decorrência da covid-19 em uma unidade da rede hospitalar Sancta Maggiore em São Paulo (SP) .

Continue Lendo

O JUIZ MORO JÁ TERIA MANDADO PRENDER O EMPRESÁRIO MORO

A corrupção à americana é mais sutil. E como esquecer o Moro dos embargos?

Por Reinaldo Azevedo

egundo os critérios com que o então juiz Sergio Moro conduziu a Lava Jato —e ele a conduziu, não é mesmo?—, o agora “sócio-diretor” da Alvarez & Marsal estaria em prisão preventiva, que seria decretada no mesmo dia em que se efetuaria um espalhafatoso mandado de busca e apreensão em seus endereços, devidamente acompanhado por ao menos uma equipe de televisão, previamente avisada. Tudo combinado com os parças do MPF.

Continue Lendo