“BICO” CRESCE E BRASIL PAGA CADA VEZ MENOS

Com taxa de desemprego nas alturas, trabalhadores têm topado ganhar cada vez menos.
Foto: Agência Brasil

O famoso “bico” tem crescido no Brasil. A precarização do trabalho avança como reflexo do desemprego no país. Entre o segundo trimestre de 2019 e o segundo de 2021, o número de brasileiros nesta condição aumentou em mais de dois milhões. A situação se caracteriza por pessoas que não têm carteira assinada ou qualquer vínculo formal e recebem menos de um salário mínimo mensalmente (R$ 1,1 mil).

No segundo trimestre de 2019, 48,2% dos trabalhadores atuavam por conta própria. Hoje, a porcentagem já atinge mais da metade da população: 55,6%. Os dados são da consultoria Idados, feitos a partir de levantamento da Pnad Contínua, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Continue Lendo