O BANQUEIRO E O SEM TERRA

Foto : Reprodução YouTube-Imagem

Por Frei Betto

erça, 10 de maio de 2005, São Paulo, capital. A pedido de Olavo Setúbal que, com frequência, me convidava para almoçar na sede do banco Itaú, no Jabaquara, daquela vez levei João Pedro Stédile, dirigente do MST. Homem culto e aberto, o banqueiro já me havia dito que preferia conversar com quem não pensava como ele.

No pequeno recinto improvisado em bistrô, Setúbal indagou de Stédile: “O que pensa do presidente Lula?” João Pedro enumerou os avanços do governo do PT e admitiu o atraso na reforma agrária. E devolveu a pergunta: “E o senhor, o que pensa de Lula?” “Uma decepção” – disse o banqueiro – “para quem esperava algo dele. Como eu não esperava nada, considero-o um gênio, um gênio!”, repetiu enfático.

Continue Lendo

TOM CRUISE E O BOM SAMARITANO

Tom Cruise socorreu brasileira atropelada em 1996 (Alberto Pizzoli/AFP)

Por Frei Betto

Entramos na Semana Santa. Todo o mundo, o Brasil de modo especial, vive há mais de um ano em plena Sexta-Feira da Paixão: quase 3 milhões de mortos pela Covid, dos quais mais de 300 mil em nosso país.

Dói a incerteza da doença em milhões de infectados; dói nas famílias dos mortos; dói a ausência de velórios; dói nos trabalhadores da saúde que, exaustos, sabem que não podem fazer milagres na falta de insumos, remédios, oxigênio e leitos; dói no bolso dos comerciantes que veem seus negócios falidos; dói no risco cotidiano enfrentado pelas pessoas obrigadas a sair de casa para trabalhar; dói ao viajar no transporte coletivo lotado; dói na falta de crédito facilitado a quem vê o seu empreendimento fechar, e dói por não ser permanente e suficiente o auxílio emergencial a tantos que precisariam ficar em casa e, ao mesmo tempo, se alimentar, pagar aluguel, e as contas de água, luz, telefone etc.

Continue Lendo

BRASILEIROS CADA VEZ MAIS POBRES

Postado por Valentin Ferreira

Por Frei Betto / Correio Cidadania

O Brasil se destaca como um dos países mais injustos do mundo. Os dados são do governo Temer, divulgados a 11 de abril deste ano, pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, feita pelo IBGE.

Nossa população atual é de 213 milhões de habitantes. Apenas 1% da população, 2.130 pessoas, recebe 36,1 vezes mais do que ganha a metade mais pobre da população. O rendimento médio mensal dessa metade mais pobre era de R$ 754 em 2017, enquanto a média recebida pelos mais ricos, de R$ 27.213.

Se todas as pessoas que têm algum tipo de renda no Brasil recebessem o mesmo valor mensal, este seria de R$ 2.112. Não é o que acontece. Metade dos trabalhadores com menores rendimentos ganha, em média mensal, R$ 754, enquanto o 1% com os maiores rendimentos recebe, em média, R$ 27.213, ou seja, 36,1 vezes mais.

Continue Lendo

ESPIRITUALIDADE E POLÍTICA, Por Frei Betto

Postado por Valentin Ferreira

Por Frei Betto / Dom Total

Para justificar decepções e encobrir omissões, criamos estereótipos. Na atual conjuntura, a demonização da política e dos políticos. Tal maniqueísmo favorece exatamente o que se critica, a má política.

Distanciar-se da política é se refugiar em suposta redoma de vidro enquanto grassa o dilúvio. Muito pouca coisa é insubstituível na história humana. Uma delas é a política. Ainda não se inventou outra forma de nos organizar como coletividade. A política permeia todos os espaços pessoais e sociais, da qualidade do pão do café da manhã ao acesso à saúde e à educação.

Se a política é “a forma mais perfeita de caridade”, como enfatiza o papa Francisco, por ser capaz de erradicar a fome e a miséria, as estruturas políticas são passíveis de severa crítica quando favorecem a desigualdade e a corrupção

Continue Lendo

FAZER DAS CONQUISTAS PRESENTES

Postado por Valentin Ferreira

Por Frei Betto

Fazer das Conquistas Presentes

inconsciente histórico brasileiro é repleto de mitos. Como o brasileiro “cordial”, numa interpretação equivocada do que assinalou Sérgio Buarque de Hollanda. Cordial sim, de cordis, coração, por agir mais movido pelo coração do que pela razão. O que explica o paradoxo dos defensores “da família” serem os mesmos que incentivam a homofobia, a exclusão e os preconceitos.

Alardeia-se que somos um povo pacífico, no esforço de favorecer o memoricídio que encobre as inúmeras revoltas que marcam a história do Brasil. O fracasso da tentativa de escravizar nossos indígenas é atribuído à benevolência dos portugueses. Pouco se considera a própria resistência indígena.

Continue Lendo

FREI BETTO: “NÃO DEPOSITO ESPERANÇAS NAS ELEIÇÕES DE 2018”

Postado por Valentin Ferreira / do Blog do Marcelo Auler

No feriado de 15 de novembro, para um grupo de 250 pessoas de seis dioceses diferentes do Estado do Rio de Janeiro que discutiam, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, quais os caminhos a trilhar para atender ao apelo do Papa Francisco de “Igreja em Saída”, Frei Betto – o palestrante – sinalizou que, embora importante, as eleições do próximo ano, não podem ser vistas como a forma para o país sair da crise:

Veja bem, não é nem achar que as eleições do ano que vem vão resolver tudo o que está aí. Não vão.  Eu não deposito as minhas esperanças, as minhas fichas todas nas eleições de 2018. Nós temos que pensar mais em longo prazo. Elas são importantes, sem dúvida. Mas, o mais importante é fazer o que, nos últimos anos, nós deixamos de fazer. Fortalecer os movimentos sociais (…) É daí que vem. O poder Popular.”

Continue Lendo