MAIS UMA VEZ O PETRÓLEO É MOTIVO PARA INCENDIAR O MUNDO

Por Leandro Valente(*)

1- Esqueçam essa história de que o petróleo está se tornando um produto irrelevante. O petróleo ainda é o motor da guerra, e deverá ser por muito tempo. Na há guerra sem energia, não há guerra contemporânea sem petróleo. Nenhuma potência considera o petróleo um produto a partir da lógica econômica que se ouve na TV. Petróleo é produto geopolítico, tem outra lógica. Comparar petróleo ao trigo é coisa para neoliberal de periferia.

2 – A máquina de guerra dos EUA não precisa do petróleo do Irã. Então qual o motivo da cobiça? Resposta complexa, mas em resumo reducionista: a lógica da geopolítica do petróleo não consiste apenas em se ter petróleo, tão importante quanto é evitar que outras potências tenham esse tipo de recurso em abundância. É travar, impor custos e dificuldades logísticas aos rivais. O Irã, na prática e em potencial, é um fornecedor de energia para máquinas de guerra na Ásia, tudo o que não pode acontecer. A Ásia é o terreno prioritário para a manutenção da hegemonia estadunidense. Sem a Ásia, os EUA são apenas uma potência regional.

Continue Lendo

O GOLPE E OS GENERAIS TAREFEIROS

Postado por Blog do Valentin

Por Moisés Mendes em seu Blog

O economista espanhol Alfredo Serrano Mancilla, diretor do Centro Estratégico Latino-Americano de Geopolítica, repete em artigo no jornal Página 12 uma pergunta sem resposta desde o início do golpe: qual foi e qual será o real protagonismo dos militares na deposição de Evo Morales?

Mancilla observa que os generais não assumiram nenhuma liderança ou iniciativa golpista pública e explícita, quando os chamados cívicos (fascistas), liderados por Camacho El Macho, passam a demonstrar que são capazes de derrubar o presidente.

Mantêm-se indecisos e divididos, até a última hora, e emitem finalmente uma nota, em nome das Forças Armadas, que determina a renúncia de Morales, quando o golpe está então consumado. Haveria golpe sem aquela nota dos militares? Certamente não.

Continue Lendo

14 MOTIVOS PELOS QUAIS OS EUA DECIDIRAM CASSAR OS DIREITOS POLÍTICOS DE LULA

Postado por Blog do Valentin

Por Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães(*) /No  Viomundo

Os objetivos estratégicos dos Estados Unidos para a América Latina e, em especial para o Brasil, são importantes para compreender a política externa e interna brasileira, inclusive a Operação Lava Jato.

A América Latina foi declarada zona de influência exclusiva de fato americana pela Doutrina Monroe, em mensagem do Presidente dos Estados Unidos ao Congresso americano, em 02/12/ 1823.

Esta Doutrina corresponde a uma visão e convicção histórica, nos Estados Unidos, de direito ao exercício de uma hegemonia natural sobre a América Latina, como o Corolário Roosevelt, de 1904, viria a explicitar.

Continue Lendo

EUA E A INTERFERÊNCIA EM ASSUNTOS INTERNOS DE OUTROS ESTADOS

Postado por Valentin Ferreira

Os EUA têm fama de ator internacional que sempre interfere nos assuntos internos de Estados, perseguindo seus próprios interesses e, desta vez, escolheram Venezuela como seu novo “alvo”, segundo opinam políticos em diferentes países.

Do Sputnik News

Melhor não se tornar “alvo” dos EUA

Mais cedo, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, advertiu para o que chama de uma flagrante ingerência nos assuntos internos da Venezuela. Na opinião dele, a interferência dos EUA na situação na Venezuela é evidente.

Em 23 de janeiro, o chefe da Assembleia Nacional da Venezuela e líder da oposição, Juan Guaidó, se declarou “presidente interino” do país durante um processo nas ruas de Caracas. O presidente legítimo do país, Nicolás Maduro, qualificou a declaração de Guaidó como uma tentativa de golpe de Estado.

Após o presidente americano, Donald Trump, reconhecer o oposicionista como presidente interino da Venezuela, Maduro responsabilizou os EUA de orquestrar essa manobra e e decidiu romper as relações diplomáticas e políticas com o país.

 

Continue Lendo

GEOPOLÍTICA: COMO O MUNDO FUNCIONA

Postado por Valentin FerreiraPor Amenteemaravilhosa.

Os bares têm muitas funções. Uma delas é fazer do mundo um lugar melhor. O café e as cervejas são desculpas que servem para resolver os problemas mundiais. Nos bares, as pessoas criam uma grande quantidade de alternativas políticas que sempre parecem ser melhores que as reais. No entanto, se quisermos melhorar nossos argumentos e fazer propostas mais ajustadas à realidade, teremos que discutir a geopolítica.

A geopolítica é uma ciência que se ocupa do estudo dos efeitos da geografia, tanto humana quanto física, sobre a política internacional e as relações internacionais. É um método de estudo da política exterior para entender, explicar e predizer o comportamento político internacional através de variáveis geográficas. Se você deseja ser o mais admirado nos debates ou pelo menos aquele que mais efeito provoca com suas ideias, vai gostar deste artigo.

Continue Lendo