OMS LANÇA CAMPANHA PARA AJUDAR FUMANTES A DEIXAR O HÁBITO

IMAGEM: Agencia Brasil

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou hoje (8) campanha, que vai durar um ano, em que desafiará 100 milhões de pessoas em todo o mundo a tentar parar de fumar com a ajuda das redes sociais.

A campanha, centrada especialmente em países que mantêm elevado número de fumantes (Estados Unidos, México, China, Brasil e Alemanha, entre outros), vai promover a criação, em redes sociais de comunidades que estão abandonando o hábito de fumar, para que se apoiem mutuamente nesse desafio e partilhem informações.

Outro objetivo é aumentar o acesso a serviços de apoio para deixar de fumar e “conscientizar sobre as táticas usadas pelas empresas de cigarros”, disse a OMS em comunicado.

Continue Lendo

SOBRE O HÁBITO: UM MANIFESTO, por Gustavo Gollo

Postado por Valentin Ferreira 

Normalidade e hábito

Podemos nos habituar a qualquer coisa e, uma vez que nos tenhamos habituado a ela, parecerá absolutamente normal. Assim, por mais absurda que alguma coisa nos tenha parecido, depois de nos acostumarmos, será tida como normal.

Toda a normalidade das outras pessoas que não seja equivalente à nossa será vista com estranheza. Toda a nossa normalidade é tida por nós mesmos como normal.

A normalidade enseja que a aceitemos, por mais completamente absurda que seja a condição, situação, ou coisa a ser aceita. A normalidade é definida pelo hábito, indiferentemente a qualquer consideração pelo absurdo.

Sobre nossas crenças

Duas considerações, exclusivamente, determinam nossas crenças: a racionalidade e o hábito.

Continue Lendo

UMA QUESTÃO DE HÁBITO

Postado por Valentin Ferreira

Virada de ano é tempo de resoluções e promessas de mudança de estilo de vida. Para tirá-las do papel, é preciso olhar com atenção para as suas rotinas e entender as motivações por trás dos vícios cotidianos

Fonte: Nexojornal.

Continue Lendo