TAIGURA: O CANTOR MAIS CENSURADO PELA DITADURA

Taiguara teve cerca de 70 músicas censuradas pela ditadura militar, sendo o cantor mais censurado durante o período da ditadura militar. Durante o fim dos anos 60 e começo dos anos 70, o cantor fez bastante sucesso com músicas como “Universo Do Teu Corpo”, “Hoje”, “Que As Crianças Cantem Livres”, “Helena, Helena, Helena”, entre tantas outras, além de seu disco “Imyra, Tayra, Ipy” é considerado como um dos discos mais criativos de toda a música brasileira.

Por Bruno Ascari / You Tube

Continue Lendo

“OS SETE DE CHICAGO”: A FARSA DA FALSA JUSTIÇA

Créditos da foto: (Divulgação)

Filme documentário dramatizado, imperdível, é estréia internacional neste momento crucial das eleições nos EUA

Quem já era adulto em 1968 deve bem lembrar do julgamento indecoroso que um juiz parcial e submisso presidiu, em Chicago, condenando, de uma só vez, sete lideranças de diversos movimentos jovens, de protesto pacífico, que abalavam as ruas da cidade e do país, indignados sobretudo com os 125 mil soldados, jovens americanos entre 18 e 24 anos, convocados e que se encontravam no Vietnã para morrer.

O juiz Julius Hoffman passou à história como um magistrado incompetente, covarde e venal. Mas uma das grandes estrelas do julgamento, que durou 23 meses e abalou o país com repercussão no mundo inteiro, foi o então ex-procurador geral dos Estados Unidos, Ramsey Clark, democrata liberal hoje com 92 anos, que advoga no Texas. Na época, ele aceitou depor como testemunha da defesa e denunciou o presidente do país.

Continue Lendo

“TRIUNFAR NA VIDA NÃO É GANHAR”

Pepe Mujica, mais uma vez, demonstra que é gigante. Ele nunca se aposentará. Mesmo renunciando ao mandato, continuará influindo na política uruguaia.

Quando era presidente, o Uruguai foi eleito pela revista Economist como o país do ano.

Questionando sobre o que pensava da honraria,disse:

“Me preocupa sobre como estão os demais países.”

Do DCM

Continue Lendo

AS LIÇÕES DA HISTÓRIA E A ESCOLA DO AUTORITARISMO. Por Lilia Schwarcz

Imagem: Justificando

Não é de hoje que governantes autoritários escolhem inimigos, inventam a própria verdade e montam equipes dispostas apenas a segui-los

A história não se repete, mas tem a capacidade de oferecer uma boa lição. No dia 27 de fevereiro de 1933, em torno das 21h, o Reichstag – um vistoso e simbólico edifício que abrigava o Parlamento alemão – pegou fogo. Até hoje ninguém sabe quem ou quais foram os culpados pelo acidente que tomou de assalto e na base da surpresa a cidade de Berlim. O que sabemos é o tamanho e as consequências da imensa repercussão, que deu lugar a uma política de emergência da qual a Alemanha e o mundo não se safariam tão cedo. Adolf Hitler, na época um jovem militar, teria comentado nessa ocasião: “Este incêndio é apenas o começo. (…) De agora em diante não haverá misericórdia. Quem quiser se colocar em nosso caminho será abatido”.

Continue Lendo

COMUNISMO CHICLETE

Para muitos, sem dúvida, o comunismo talvez seja um chiclete alucinógeno feito em Cuba ou Coreia de Norte (Unsplash/Thought Catalog)

Temo que a escalada da ignorância ostentação – que tantas vítimas já vez – seja irreversível

Por Ricardo Soares* / Dom Total

Quando eu era menino – e olha que já faz tempo – deitava num chão daqueles de ladrilhos vermelhos quebradinhos, típico dos anos 70, e, com uma parreira de uvas sobre minha cabeça, tentava vislumbrar entre as folhas o distante ano 2000, quando eu seria um “idoso” de 40 anos. Não sei bem porque me fixei na idade emblemática dos 40 e nem no ano 2000. Mas era isso que pensava, sem sequer imaginar que, 20 anos após o encontro que eu queria marcar comigo mesmo no ano 2000, o Brasil se converteria numa distopia apocalíptica em 2020.

Continue Lendo

COMO O “BEM MAIOR” É USADO COMO FERRAMENTA DE CONTROLE SOCIAL

Do Pensar Contemporâneo

Em vez de respeito pela razão, diálogo aberto, liberdade de expressão e direitos individuais e de propriedade, os sistemas políticos em todo o mundo estão se tornando cada vez mais autoritários. Decepções e mentiras, manipulação e propaganda, fomento do medo e operações psicológicas estão todos sendo usados ​​para justificar ações políticas que destroem vidas.

Como os políticos continuam a convencer o público a acabar com sua liberdade em favor de um controle governamental pesado? Por que tão poucas pessoas estão defendendo a liberdade quando um mundo sem ela é um mundo de sofrimento em massa? Neste vídeo, vamos examinar essas questões.

Continue Lendo