ROSANA PINHEIRO-MACHADO: “PEDIDOS POR INTERVENÇÃO MILITAR SÃO GRITOS DE SOCORRO DE UMA POPULAÇÃO DESCRENTE”

CPostado por Valentin FerreiraA antropóloga e cientista social, que se reuniu com grupos de caminhoneiros em greve, diz que o movimento não é facilmente encaixável e revela uma lógica de redes, não de sindicatos

Por Felipe Bertin e Rodolfo Borges / El Pail Brasil

Ao longo da última semana, a cientista social e antropóloga Rosana Pinheiro-Machado, professora na Universidade Federal de Santa Maria (Rio Grande do Sul), se reuniu com quatro grupos de caminhoneiros que estavam em greve. O trabalho, feito com a antropóloga Lucia Scalco, fazia parte de um projeto mais amplo das duas especialistas sobre os eleitores de Jair Bolsonaro. Pinheiro-Machado, que também já lecionou em Oxford e na Universidade de São Paulo (USP), já vinha estudando os movimentos sociais que ocuparam as ruas no Brasil e no mundo nos últimos anos. “Todos são ambíguos porque seguem uma lógica de agregação, em que você agrega pessoas via viralização, contágio, nas redes sociais. E como não são sindicalizados, sem aquela linha clara do sindicado e do movimento, elas reivindicam coisas múltiplas”, explica. Uma das lições da paralisação, explica ela, é o fato de que a polarização política vista nas redes sociais não abarca toda a população, … Continue Lendo

COMO OS GENERAIS RECHAÇAM A IDEIA DE “INTERVENÇÃO”

Postado por Valentin FerreiraMilitares que atuam como ministros da Defesa e da Segurança Institucional fazem crítica direta aos que pedem a volta da ditadura no Brasil 

 Por João Paulo Charleaux / Nexo Jornal

Em fevereiro de 2017, o comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, abriu uma conta no Twitter. Desde então, ele vem fazendo dessa rede social um posto avançado das opiniões do Exército a respeito dos mais diversos temas.

Em pouco mais de um ano, Villas Bôas já opinou sobre combate à criminalidade, o politicamente correto, a intervenção no Rio de Janeiro e até o julgamento de um pedido de habeas corpus feito pela defesa do ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva ao Supremo.

Até então, o posto avançado de Villas Bôas nas redes era um local seguro. Mas o ambiente mudou radicalmente a partir da última semana do mês de maio de 2018, quando milhares de caminhoneiros e de empresas de transporte paralisaram as rodovias do Brasil para cobrar do governo principalmente a redução no preço dos combustíveis.

Continue Lendo