ESTADO DE S.PAULO ENDURECE A QUARENTENA NO NATAL E ANO NOVO E LIBERA APENAS SERVIÇOS ESSENCIAIS

Pessoas se aglomeram na Ladeira Porto Geral, em São Paulo, antes do Natal.AMANDA PEROBELLI / REUTERS

Por Beatriz Jucá /El País Brasil

Apenas serviços essenciais como farmácias, mercados e padarias poderão abrir nos dias 25 a 27 de dezembro e 1 a 3 de janeiro. Restaurantes, bares e comércio só terão autorização para delivery

O agravamento da pandemia do novo coronavírus levou o Estado de São Paulo, o mais populoso do Brasil, a aumentar as medidas de restrição entre o Natal e o Ano Novo. Nos dias 25 a 27 de dezembro e entre 1 e 3 de janeiro, grande parte do comércio voltará a fechar, com a liberação para o funcionamento apenas de serviços e atividades essenciais, como farmácias, mercados e padarias. Bares, lanchonetes e restaurantes só podem funcionar para delivery. Hotéis poderão receber hóspedes, mas aglomerações devem ser evitadas. A medida atinge as cerca de 46 milhões de pessoas que vivem no Estado, oficialmente classificado em uma fase mais branda do plano do governo paulista contra a covid-19, a amarela, para os dias não mencionados.

Continue Lendo

COVID-19: TABELA MOSTRA OS GRAUS DE RISCO DE CONTÁGIO

Pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), nos Estados Unidos, criaram uma tabela que considera fatores como o uso de máscaras, o tempo de contato com outras pessoas, a ventilação do local, a quantidade de pessoas e até o que elas estão fazendo — falar, cantar, gritar ou permanecer em silêncio.

Fonte: Blog BoraPensar

Continue Lendo

CIENTISTAS RECONHECEM TRANSMISSÃO DE CORONAVÍRUS PELO AR E REFORÇAM NECESSIDADE DE MÁSCARA

Agentes da vigilância sanitária em ação educativa para uso de máscara no centro de São Paulo – Eduardo Anizelli/Folhapress

Contágio por aerossóis, que podem ficar no ar por horas, aumenta preocupações sobre a reabertura

Por Everton Lopes Batista/ Folha

Artigos publicados nos últimos meses engrossaram as evidências de que a transmissão do novo coronavírus pelo ar, não só por gotículas de saliva, é possível e tem um papel maior do que se imaginava inicialmente.

Cada vez mais estudos confirmam a presença do vírus ativo em aerossóis de saliva expelidos por pessoas durante a fala, espirro ou tosse. Aerossóis de saliva são partículas líquidas muito pequenas, mas maiores do que o Sars-Cov-2, e por isso podem carregá-lo pelos

Continue Lendo

LEME-SP: NÚMERO DE INFECTADOS POR COVID VOLTA A CRESCER

Números coletados do site da Prefeitura de Leme

Por Valentin Ferreira

A exemplo do que tem acontecido em muitas cidades, cresceu também em Leme-SP o número de pessoas infectadas por Covid 19. O feriadão de 7 de setembro pode ter contribuído em parte com o fato, uma vez que ouve aglomerações, viagens e pouco cuidado com as recomendações de isolamento e uso de máscaras. O salto no número de infectados cresceu 26% entre as semanas de 01 a 7 e 15 a 21 de setembro.

O que se nota nas ruas da cidade é o comportamento abusivo de pessoas não usando máscara, e às vezes, até dentro de lojas com a complacência de atendentes e lojista.

Em vários países o aumento de casos tem levado autoridades a tomar medidas restritivas para evitar o avanço da contaminação. Ainda é muito cedo para relaxar nos cuidados necessários para evitar o contágio e a proliferação da doença.

Se alguns não têm amor pela vida, deve respeitar os que têm.

Continue Lendo

EFEITOS DA IMUNIDADE DE REBANHO CONTRA COVID-19 SÃO TEMPORÁRIOS

A imunidade coletiva ocorre quando uma porcentagem significativa de indivíduos fica imune a uma doença transmissível (Nelson Almeida/AFP)

Segundo especialistas ouvidos pela reportagem, a imunidade pode acabar em poucos meses

A discussão sobre uma possível imunidade de rebanho voltou a ganhar força após a divulgação de um estudo da Universidade de São Paulo (USP) sobre a redução nos casos da Covid-19 em Manaus, atribuída à possibilidade de 2/3 da população ter sido infectada ao longo da pandemia. O tema ainda é visto com ressalvas por especialistas ouvidos pela reportagem. Eles destacaram que o fenômeno tem efeitos temporários e que ainda não há conclusões se ocorre no Brasil.

Continue Lendo