OBAMA NO BRASIL: “UM PAÍS QUE NÃO INVESTE EM EDUCAÇÃO NÃO SERÁ BEM-SUCEDIDO”

Postado por Blog do Valentin

Em palestra em São Paulo nesta quinta-feira (30), o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que a “chave do sucesso é a educação” e que “dar educação e serviços sociais não é caridade, é uma ferramenta de desenvolvimento econômico”. A declaração acontece num dia de mobilizações de estudantes, professores e trabalhadores contra os cortes na Educação feitos pelo governo de Jair Bolsonaro.

“Se você um país que não tem este tipo de investimento nas pessoas [em educação], ele provavelmente não será bem-sucedido”, disse o ex-presidente norte-americano, segundo reportagem do site UOL.

Continue Lendo

O QUE SIGNIFICA DIREITA E ESQUERDA NO CAMPO DA ECONOMIA?

Postado por Valentin FerreiraDiferença vai além da chamada “mão invisível” do mercado versus intervencionismo estatal. Na campanha eleitoral, candidatos adotam posições mistas quanto a questões como impostos e teto de gastos.

A economia não é uma ciência exata. Por trás de números e equações estão visões de mundo variadas, que propõem caminhos distintos para a atividade econômica, ou seja, para a maneira como um país produz bens e oferece serviços. Mas o que distingue essas visões como posições de direita ou de esquerda?

O pensamento econômico de direita se identifica com o liberalismo, que se caracteriza pela defesa da livre iniciativa e do Estado mínimo. De acordo com essa corrente, a “mão invisível” do mercado – termo cunhado pelo filósofo britânico Adam Smith para designar o equilíbrio que decorre da livre concorrência – produz as condições necessárias para o desenvolvimento econômico e social. Ao Estado cabe atuar em áreas essenciais, como saúde, educação e segurança, sem criar obstáculos à atuação da iniciativa privada.

Continue Lendo

A DESUMANIZAÇÃO DA ECONOMIA, Por Luiz Gonzaga Belluzzo

Postado por Valentin Ferreira
Diante de qualquer política de amparo aos mais necessitados, grita-se populismo.

Na revista New Yorker, o britânico John Lanchester, autor do livro How to Speak Money, escreveu um artigo instigante a respeito das relações entre Economia e Humanismo.

Em 1974, escreve Lanchester, sete países africanos juntaram forças para combater a cegueira dos rios, doença tropical provocada pela picada de insetos. A Organização Mundial da Saúde supervisionou o programa, um sucesso retumbante que impediu a cegueira de milhares de africanos pobres.

Convidados para avaliar os resultados, economistas do Banco Mundial não foram capazes de afirmar se valeu a pena o esforço coletivo. Na opinião da turma da ciência econômica, a análise de custo-benefício foi “inconclusiva”. Os beneficiados eram tão pobres que preservar sua visão tem baixo impacto monetário.

Continue Lendo