APAGANDO LINKS

Governo Bolsonaro tinha publicado orientações para uso da cloroquina em pacientes com Covid-19 e depois excluiu as prescrições do site do Ministério da Saúde

Ministério da Saúde apaga links com prescrição de cloroquina para Covid19

O Ministério da Saúde apagou de seu site dois links com protocolos que recomendavam o uso de cloroquina e hidroxicloroquina como “tratamento precoce” para a Covid-19.

O ministério anunciou que será realizada nesta quinta-feira (13) uma reunião para definir as novas diretrizes de tratamento para a Covid na rede pública.

Um dos links com as orientações constava na versão antiga do site do ministério, que seguia no ar apesar da criação de uma nova página oficial no ano passado. Já o outro link estava disponível no site da UNA-SUS, a plataforma de capacitação de profissionais do Sistema Único de Saúde. Os dois links foram desabilitados pela pasta na noite de segunda-feira (10), informa a Folha de S.Paulo.

Continue Lendo

“UM MERCADO PRIVADO E ILEGAL DE VACINAS ESTÁ SE CONSTRUINDO NO BRASIL”

“Parte da elite econômica brasileira acha que precisa ter um camarote em tudo”, afirma Padilha

Em entrevista à DW, deputado e ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha fala sobre o caso de empresários em Minas Gerais que teriam se vacinado às escondidas. Ele acionou o Ministério Público contra o grupo.

O deputado federal Alexandre Padilha, ex-ministro da Saúde do governo Dilma Rousseff, moveu uma ação junto ao Ministério Público de Minas Gerais contra um grupo de políticos e empresários, a maioria ligada ao setor de transportes do estado, que teria comprado doses do imunizante contra a covid-19 por iniciativa própria e se vacinado, driblando a lei brasileira.

O escândalo foi  revelado na quarta-feira (24/03) pela revista Piauí. Segundo a reportagem, cerca de 50 pessoas receberam a primeira dose do imunizante nesta semana em um posto de vacinação improvisado. As doses da vacina da Pfizer, que nega ter vendido os lotes, teriam sido importadas pelo grupo e não repassadas ao Sistema Único de Saúde, como prevê a lei.

Continue Lendo

JÁ ESTAMOS VENDO MIRAGENS

Imagem: Reprodução

Por Moisés Mendes/Em seu blog

O desespero nos conduz à tentação da busca por heróis que possam nos tirar do inferno do bolsonarismo. Mas até os heróis no Brasil hoje duram algumas horas e se evaporam antes de termos pelo menos uma amostra do que esperamos deles.

Foi bem ruim a sensação de que a aposta na médica Ludhmila Hajjar para a Saúde não deu certo porque ela teria se desiludido com Bolsonaro. Mas não era nada disso, não havia desilusão nenhuma. Não deu certo porque Bolsonaro a rejeitou.

Vai ficando cada vez mais claro que a médica cotada para o Ministério da Saúde se jogou nos braços de Bolsonaro. Que a reunião de domingo, quando ela foi sabatinada por Bolsonaro, por Eduardo e por Pazuello, não teria sido uma decepção para ela, mas para o genocida. Ludhmila nos empurrou para uma ressaca.

Continue Lendo