RODA VIDA: ERICA HILTON, A VEREADORA MAIS VOTADA NA HISTÓRIA DO PAÍS.

Roda Viva em 01/02/2021

Primeira mulher trans a ocupar uma cadeira na Câmara Municipal de São Paulo, Erika Hilton é uma das vereadoras mais votadas nas eleições de 2020, com mais de 50 mil votos. Ela tem propostas claras para seu mandato: pretende lutar pelos direitos humanos, por maior igualdade social e em defesa da população de rua. Ex-codeputada à Assembléia Legislativa de São Paulo, pela Bancada Ativista do PSOL, ela marcou sua atuação pelo discurso contra as desigualdades. Na Câmara Municipal, Erika afirma que não planeja discutir apenas a pauta LGBT, racial ou de mulheres. Pretende atuar em todos os temas que competem ao cargo de vereador, em uma cidade complexa como São Paulo. ( Do Youtube)

Continue Lendo

O AVANÇO DA PRESENÇA DE MULHERES E NEGROS NAS CÂMARAS MUNICIPAIS E PREFEITURAS

Fotomontagem de candidatas a vereadora em São Paulo; número de mulheres negras candidatas à Câmara Municipal da capital paulista quase dobrou em 2020 – Rubens cavallari e Ronny Santos/ Folhapress

Da Folha S. Paulo

Apesar do crescimento, o resultado ainda está bem distante de refletir a divisão entre negros e brancos na população brasileira —56% são pretos e pardos— e entre os próprios candidatos lançados —50% foram negros, 48%, brancos.

Já em relação às mulheres, o avanço foi mais tímido no primeiro turno. Elas passaram de 11,7% do contingente de prefeitos eleitos em 2016 para 12,1%.

Um dado significativo, porém, mostra que cresceu de forma mais expressiva a presença tanto de mulheres como de negros nas disputas de segundo turno, ou seja, das maiores e mais importantes cidades do país.

Continue Lendo

QUE BRASIL TERÍAMOS, COM MAIS MULHERES NEGRAS NO PODER?

Executivo e legislativo continuam tomados por homens brancos e ricos — e agora há a ameaça do fascismo. Mas em 2020, candidaturas coletivas de grupos excluídos aumentaram, e podem abrir caminho para mandatos que sacudam a política

Por  CFEMEA, | Ilustração: Stephanie Pollo / Do Outras Palavras

O Brasil já está às voltas com as eleições municipais. Mergulhadas numa crise profunda, ainda mais trágica pela crise sanitária que já matou quase 150 mil pessoas em nosso País, nos perguntamos sobre o que significa a realização de um processo como este em um contexto político marcado por um golpe e pelo fascismo crescente na sociedade brasileira. O que significa termos um processo eleitoral já com quase dois anos do governo Bolsonaro?

Os movimentos feministas têm uma trajetória de monitoramento de políticas públicas e de ação junto ao Parlamento. Desde a Constituinte, organizações e movimentos incidem para aprovar legislações igualitárias e pressionar para que os marcos normativos se traduzam em políticas e serviços que alterem concretamente a vida das mulheres. 

Continue Lendo

EFEITO MARIELLE: MULHERES NEGRAS ENTRAM NA POLÍTICA

Postado por Valentin Ferreira

Assassinato de Marielle Franco despertou em mulheres jovens, negras e periféricas o desejo de ir à luta e manter o legado da vereadora através de candidaturas

O assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) chocou o Brasil pela brutalidade do crime e por ter representado um ataque direto a muitos símbolos: mulher, negra, lésbica e favelada. Mais do que uma pessoa, as balas feriram grupos e ideais. Um amigo de longa data dela, o geógrafo Lourenço Cezar, chegou a dizer à Ponte que a pessoa que disparou contra ela deveria ter conhecimentos de ciências sociais, já que, com os tiros, conseguiu atingir inúmeras pessoas de uma única vez.

A vereadora e o motorista Anderson Gomes foram assassinados na noite do dia 14 de março deste ano, logo depois que ela saiu de um evento em que discutia negritude, representatividade e feminismo. 

Continue Lendo