ENNIO MORRICONE, O MAESTRO DA SÉTIMA ARTE…GRAZIE MILLE!

Ele compôs mais de 500 músicas para o cinema e séries de TV. Muitos, muitos filmes não teriam o brilho que tiveram sem as trilhas sonoras de Ennio Morricone. Ele agora vai reger a orquestra lá do céu. Nos deixou nessa segunda-feira, 6, aos 91 anos. Estava internado em Roma depois de sofrer uma queda e quebrar um fêmur. Foram complicações do acidente que o levaram.    Morricone ganhou notoriedade com os chamados “faroestes spaghetti”, de produção italiana. Os destaques foram os dirigidos por um conterrâneo dele: Sérgio Leone que comandou filmes como “Por um Punhado de Dólares” (1964), “Por Uns Dólares a Mais” (1965), “Era Uma Vez no Oeste” (1968) e “Uma Vez na América” (1984). 

Continue Lendo

SOB O CÉU DE PARIS…Édith Piaf (é permitido se emocionar)

 

Por Valentin Ferreira

A música como outras formas de manifestação da arte encontrou nesta canção e sua letra a exaltação da sensibilidade humana que muitas vezes se perde sob tantas coisas fúteis.

Ouvir e saborear a poesia de sua letra é mais que um enlevo. É poder voltar-se para dentro da alma e deixar explodir toda sua beleza que insistimos  em não mostrar. Por quê?

Nestes tempos sombrios* com seus homens e mulheres a buscar desesperadamente respostas para perguntas que sequer conseguimos fazer, deixar-se envolver pela poesia e sensibilidade de musicas como esta, é dar oportunidade para o transcendental, que  suavemente, faz nossos olhos voltarem-se  aos céus.

Se algumas lágrimas, desesperadamente, querer inundar seus olhos, não se sinta fraco, inútil. É o humano lutando pelo espaço perdido. É a fragilidade do nosso SER  abrindo espaço para o infinito poder falar. Dê oportunidade ao silencio. A sabedoria brotará  do chão sem piso, agora  umedecido pela força dos pingos que carregam o mistério de por vezes ser manifestação de tristeza, mas em outras, explosão da alegria.

Continue Lendo