POLÍTICA ECONÔMICA DO GOVERNO NÃO REDUZIRÁ DESEMPREGO, DIZ OIT

Segundo estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT) a política econômica ultraliberal conduzida por Jair Bolsonaro (sem partido) e Paulo Guedes é incapaz de reduzir o desemprego no Brasil.

Conforme a entidade, a taxa de desemprego na maior economia da América Latina declina de 12% em 2019 para 11,9% em 2020 e atinge 11,4% em 2025.

“Não vemos um empurrão importante para permitir que taxa (de desemprego) volte ao que existia em 2014”, afirmou Stefan Kuhn, macroeconomista da OIT, apontando menor demanda na economia global, entre outros fatores.

Em 2014, a taxa de desemprego era de 6,7% e o número de desempregados era de 6,7 milhões, praticamente metade da cifra atual. O Brasil terá assim por anos uma taxa de desemprego três vezes maior que a média global de 5,4%.

Além disso, as reformas nas leis do trabalhistas, com a desregulemantação e esvaziamento da CLT, contribuem para ampliar a precarização e formas intermintentes de trabalho no país. (Blog do Esmael)

Continue Lendo

GENTE INOCENTE

Postado por Valentin Ferreira Élio Gasda
                                                                                  Foto:  Élio Gasda (Divulgação)
 

Pela forma como trata as crianças, pode-se julgar uma sociedade.

Por Élio Gasda*

Dia após dia, a infância tem sido roubada, destruída, incendiada diante dos nossos olhos. Em um país onde 70% das crianças não têm acesso a creches, 9 foram queimadas vivas em uma creche chamada Gente Inocente. Elas estão na mira do fogo. O Brasil é vice-campeão mundial no assassinato de crianças e adolescentes. Só está atrás da Nigéria. São 28 por dia (UNICEF). Em 2016 ocorreram 735 óbitos de crianças indígenas menores de nove anos (Secretaria Especial de Saúde Indígena).

Continue Lendo

A ESCRAVIDÃO CONTEMPORÂNEA DA OAB NA MIRA DA OIT, OEA,TPI E ONU

Por Valentin Ferreira / do Gente de OpiniãoImagem relacionada                                                                          Imagem :EditoradoBrasil (inserida pelo Blog)

Vasco Vasconcelos(*)

Ensina-nos Martin Luther King Jr: “Na nossa sociedade, privar um homem de emprego ou de meios de vida, equivale, psicologicamente, a assassiná-lo.”

Como é sabido  a escravidão em nosso país foi abolida há cento e vinte e nove anos, graças à Princesa Imperial Regente Isabel Cristina Leopoldina Augusta Michaela Gabriela Raphaela Gonzaga de Orléans e Bragança (Princesa Isabel).(1846-1921). Entre os países do continente americano, o Brasil foi o último país a abolir a escravidão. Deveria ter sido um dos primeiros a reconhecer que o trabalho humanizado é um direito pertencente a todos os humanos.

Antes da promulgação da Lei Áurea era legal escravizar e tratar as pessoas como coisa, para delas tirar proveito econômico. A história se repete: o pernicioso, fraudulento, concupiscente, jabuti de ouro, o famigerado caça-níqueis da exame da  OAB, cuja única preocupação é o bolso dos advogados devidamente qualificados pelo Estado (Ministério da Educação –MEC), jogados ao banimento, renegando pessoas a coisas.

Continue Lendo

IMPACTOS DAS REFORMAS TRABALHISTAS NO MUNDO

Por Valentin Ferreira / Via teoriaedebate.org.br/ As altas taxas de desemprego criaram ambiente favorável para medidas que agravam

                                                                         Foto: Hugo Correa/Reuters

Altas taxas de desemprego criaram ambiente favorável para medidas que agravam o quadro.

Foram analisadas 642 mudanças nos sistemas laborais em 110 países. Em 55% dos casos, as reformas visaram reduzir a proteção ao emprego, atingindo toda a população, tinham caráter permanente, produzindo uma mudança de longo prazo na regulamentação do mercado de trabalho no mundo

No Brasil, iniciativas dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário visam à promoção de mudanças nas regras e normas trabalhistas, o que trará grande impacto sobre o sistema de relações de trabalho, as formas de contratação, a jornada de trabalho, a remuneração, as condições de trabalho, os sistemas de negociação coletiva, o direito de greve, a organização e o financiamento sindical. Já está em debate no Congresso o amplo e perverso projeto de reforma da Seguridade e Previdência Social, depois de ter sido aprovada a mudança constitucional e legislativa que congela os gastos públicos em termos reais por vinte anos.

Continue Lendo

MAIOR PARTICIPAÇÃO FEMININA TRARIA R$ 382 BILHÕES À ECONOMIA BRASILEIRA ATÉ 2025, DIZ OIT

Por: Marina Wentzel/BBC Brasil

Mulheres profissionaisGettyImagens

O Brasil pode expandir sua economia em até R$ 382 bilhões ao longo de oito anos se aumentar a inserção das mulheres no mercado de trabalho em um quarto até 2025, estima a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Diminuir em 25% a desigualdade de gênero no mercado de trabalho até 2025 é um compromisso dos países-membros do G20, do qual o país faz parte. Segundo a OIT, isso traria um incremento acumulado de 3,3% ao Produto Interno Bruto brasileiro ao longo do período.

Continue Lendo